Topo

Amiga diz que edição do "BBB" prejudica Patrícia: "Jogadora e protagonista"

Reprodução/GloboPlay
Patrícia foi indicada ao paredão após a volta de Gleici Imagem: Reprodução/GloboPlay

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

12/03/2018 13h38

Amiga de Patrícia, a fisioterapeuta Ana Paula Siqueira acredita que a edição do "BBB" prejudicou a cearense no jogo.

"A meu ver, a própria edição do programa não a favorece. Além disso, dentro do programa e a torcida fora estão fazendo de Gleici uma vítima e Patrícia uma vilã. Se é um jogo, onde está a regra que não pode combinar voto? Não entendo!", diz.

"Não a considero vilã, nem mocinha, considero jogadora e protagonista. As partes do programa mais divertidas e legais de assistir foi ela que protagonizou. A casa vai ficar apagada. Os demais participantes só aparecem nas festas", completa.

Arquivo pessoal
Ana Paula, amiga de Patrícia, acha que ela é a protagonista do "BBB" Imagem: Arquivo pessoal

Ana Paula acha que ainda há tempo de o público analisar a participação de Patrícia no "BBB" e deixá-la no programa. "Acredito que há esperança sim. Espero que ela não seja eliminada. O programa vai perder sem ela. A esperança é a última que morre e costumo dizer que a minha tem sete vidas".

Fora do reality, segundo Ana Paula, a sister é uma pessoa carinhosa e muito querida pelos amigos.

"No dia a dia ela é muito falante, comunicativa, amorosa, carinhosa demais, muito alegre, bem espontânea e de uma gentileza... Minha mãe ama Patrícia pelo trato, doçura. Ela é muito leal às amizades".

Mãe de David, 11 anos, Patrícia também é considerada pela amiga uma mãe muito dedicada.

"Todos nós que a conhecemos ficamos estarrecidos com a imagem que fazem dela nas redes sociais e no programa. Fomos para a formatura dela, e ela foi a pessoa mais querida e aplaudida da turma quando os formandos se apresentaram. A Kika é muito família, todos são muito unidos e ela é um exemplo de mãe, mega dedicada", descreve Ana Paula.

Patrícia está no paredão desta semana com Diego e Caruso. Após se desentender com Gleici, muitos telespectadores e até famosos passaram a rejeitar a participação dela no programa.

"Torço por ela, pela história de vida dela, órfã, perdeu o pai cedo como eu, batalhadora, autêntica, amiga e uma super jogadora no programa. Ninguém é 100% anjo ou demônio e somos humanos e não dá para julgar o caráter de uma pessoa pelo programa", opina. Segundo a fisioterapeuta, o pai de Patrícia morreu assassinado em um assalto.