PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Maria Adelaide Amaral diz que adiamento de novela foi um “ganho”

Mauricio Stycer

24/09/2015 15h18

A decisão de adiar a realização da novela que iria substituir "A Regra do Jogo", programada para estrear em março de 2016, foi festejada pela autora, Maria Adelaide Amaral. "Para nós foi um grande ganho", disse ao blog.

No comunicado que enviou, a Globo informa que a novela de Maria Adelaide e Vincent Vilari foi suspensa por causa de sua temática política. "Como o Brasil tem uma legislação eleitoral muito rígida, a partir do início de junho teríamos que eliminar essa trama da novela, porque entraríamos no período em que não se pode falar de política", diz Silvio de Abreu no comunicado.

Maria Adelaide confirma. "Estávamos muito desapontados com o fato de termos que abortar em junho (por causa da legislação eleitoral) a nossa trama política e com ela personagens imperdíveis como o senador Cesar Venturini e o deputado Arlindo Nacib", diz.

Questionei a autora se esta trama não estava prevista na sinopse aprovada previamente pela Globo. A sua resposta: "Na verdade, nenhum de nós podia imaginar que a trama política ficasse tão importante e, desculpe, irresistível. E, claro, a Operação Lava-Jato contribuiu para isso", diz Maria Adelaide.

A autora lembra, ainda, que a sinopse "é apenas um ponto de partida". E acrescenta: "À medida que os capítulos vão sendo escritos, personagens crescem e se revelam e nos apontam caminhos inimagináveis e, até então, desconhecidos. Isso faz parte do processo e é a parte mais fascinante dele, fique certo. Já estava praticamente vestindo luto por ter que me despedir dessas criaturas por volta do capítulo 60".

Abaixo, o "UOL Vê TV" com Maria Adelaide e Vilari, gravado em outubro de 2013, pouco antes do final da novela "Sangue Bom", último trabalho da dupla:

Veja também
Globo derruba próxima novela das 21h, de Maria Adelaide Amaral

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.