Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Equipe da Globo foi contra, mas direção decidiu entregar troféu a Sidão

Mauricio Stycer

2012-05-20T19:20:15

12/05/2019 20h15

A escolha de Sidão como "craque do jogo" durante a transmissão de Santos e Vasco pela Globo gerou um enorme constrangimento dentro da emissora. O goleiro vascaíno foi escolhido pelos espectadores porque falhou no primeiro gol santista. Foi "zoeira" da internet.

O blog apurou que o narrador Luis Roberto e os comentaristas Walter Casagrande e Roger Flores foram contra a entrega do troféu ao goleiro vascaíno. Entenderam que seria um constrangimento ao profissional. Mas a direção de Esporte da emissora exigiu que a repórter Julia Guimarães fizesse a entrega a Sidão.

Por volta das 21h, três horas após o ocorrido, a emissora pediu desculpas públicas ao goleiro e anunciou mudanças no formato da promoção (veja abaixo).

A cena toda foi muito constrangedora. Muito pouco à vontade, a repórter disse: "Sidão, eu vou ter que te entregar o troféu de craque do jogo. Foi uma votação feita apenas por torcedores na internet". O goleiro chegou a reconhecer que falhou no primeiro gol, mas não disse nada quando a repórter explicou o "prêmio".

A justificativa da Globo para entregar o troféu a Sidão é que a promoção "craque do jogo" integra o pacote comercial das transmissões do Brasileirão.

Pouco após o final da transmissão, Casagrande publicou uma foto de Sidão em seu perfil no Instagram e escreveu: "Eu quero pedir desculpas ao Sidão por essa ironia de mal (sic) gosto com esse troféu ridículo, o Sidão é um trabalhador honesto e merece respeito de todos, me desculpe mesmo". Em seguida, Roger republicou a imagem e escreveu: "Assino embaixo, Casão! E digo mais, Sidão foi muito educado".

Em seu perfil no Twitter, a repórter Julia Guimarães escreveu, às 22h: "Tenho a consciência tranquila de que o Sidão sabe o respeito que tenho pelo profissional e pela pessoa que ele é".

O repórter Marco Bello Jr., da rádio Transamérica, que viu a entrega do troféu em campo, no Pacaembu, escreveu em sua conta no Twitter: "Uma cena absolutamente constrangedora, o troféu entregue pro Sidão. Para a repórter e para o jogador. Alguém da emissora deveria ter interferido e vetado essa situação. Repórter chorando e jogador saindo de campo quase chorando. Péssimo."

Desculpas

Em mensagem postada em seu site, a emissora escreveu: "O Grupo Globo aproveita para pedir desculpas a Sidão pela situação de constrangimento ao fim do jogo no Pacaembu. O goleiro é um profissional de alto nível no futebol brasileiro que estava em seu ambiente de trabalho depois de uma jornada difícil. Reconhecemos que a entrega do troféu não foi adequada na ocasião e agradecemos a educação de Sidão no momento de tensão."

A emissora também anunciou mudanças no formato da promoção dando poder de voto aos comentaristas: "A partir da próxima quarta-feira, quando começam as oitavas de final da Copa do Brasil, a votação do Craque do Jogo terá um novo formato. O público seguirá tendo voz através das enquetes, agora em companhia dos comentaristas da TV Globo, que terão direito a voto."

Por tudo que se viu na transmissão, claramente faltou jogo de cintura à emissora. Havia várias alternativas menos constrangedoras. O narrador Luis Roberto poderia ter brincado com o resultado da votação e a "impugnado" por causa da zoeira. Também poderia ter dado o troféu a Sidão dizendo que mereceu por causa do "chapéu" que aplicou em um jogador do Santos no segundo tempo. No limite, a emissora poderia ter informado o resultado, mas não entregue nada ao goleiro, poupando-o da situação difícil.

Repercussão

As críticas à Globo tomaram grande proporção no meio esportivo. O jogador Neymar, o Vasco, o próprio Santos, que venceu a partida, os comentaristas Neto, da Band, e Fabio Luciano, da ESPN, além da assessoria do goleiro, se solidarizaram com Sidão e lamentaram a atitude da emissora.

Histórico de constrangimentos

A iniciativa "craque do jogo" já havia resultado em uma piada em março. Durante a transmissão do jogo entre Brasil e República Tcheca, os internautas escolheram como melhor jogados em campo o pouco expressivo Ondrej Kudela, apenas pelo prazer de ver Galvão Bueno anunciar o resultado. O narrador entendeu a "trolada" e riu da situação.

O episódio com Sidão vem a se somar a outros constrangimentos já causados pela Globo a jogadores. A entrega do troféu "Inacreditável Futebol Clube" a atletas que perderam gol feitos também já provocou reações negativas no meio. Deivid relutou por oito anos em "aceitar" o seu. Loco Abreu, certa vez, classificou a brincadeira de "uma bobagem".

Veja também
Por que a interação com o público é tão desejada pelas emissoras de TV

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.