Topo

Record volta a exibir reportagem negativa sobre principal sócio da CNN

Mauricio Stycer

23/09/2019 22h22

Adriana Araújo e Celso Freitas, apresentadores do "Jornal da Record"

Obras da construtora MRV são hoje um assunto tão grave e importante quanto o assassinato da menina Ághata. Ao menos, na visão do "Jornal da Record", que dedicou tempo semelhante aos dois temas nesta segunda-feira (23).

Na sexta-feira, a MRV Engenharia já havia merecido cinco minutos de reportagem do JR com informações sobre uma ação do Ministério Público do Paraná contra obras realizadas em Londrina. Era notícia velha, como se diz no jornalismo. A ação havia sido ajuizada em 15 de agosto e noticiada na ocasião por outros veículos, como o telejornal da Globo local em Londrina.

Nesta segunda, foram quatro minutos e trinta segundos sobre um empreendimento imobiliário da MRV em Mauá, na Grande São Paulo, realizado em um terreno com suspeita de contaminação. A reportagem também falou sobre problemas semelhantes em outras obras da mesma construtora, em outras cidades.

O dono da MRV, o empresário Rubens Menin, é o principal acionista da CNN Brasil. Conforme a Folha noticiou, ele detém 65% das ações da Novus Media, empresa por trás do novo canal de notícias e para a qual indicou seu filho como presidente. Há uma semana, o canal fechou a contratação de Reinaldo Gottino, um dos mais importantes e bem-sucedidos apresentadores da Record.

Anunciada em janeiro, a CNN Brasil é um projeto do jornalista Douglas Tavolaro, que fez carreira na Record, em diferentes posições, alcançando a vice-presidência de jornalismo, cargo que ocupou por 14 anos, até sair para criar o canal de notícias. CEO do canal de notícias, Tavolaro tem 35% das ações da empresa Novus Media.

Nos meses seguintes à saída de Tavolaro, a CNN Brasil contratou vários profissionais da Record, mas todos para cargos de chefia e bastidores. Gottino foi o primeiro que apresentava um programa na emissora – e não um qualquer, mas um dos maiores sucessos do canal, o "Balanço Geral".

Procurada pelo blog, a MRV disse que não vai comentar esta nova reportagem do "Jornal da Record". A CNN também não quis comentar.

Veja também
Após contratar Gottino, sócio da CNN é alvo de ataque do Jornal da Record
Novo projeto e reforma não revertem queda na audiência do Jornal da Record

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer