Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

Nada de “Game of Thrones”: “Belaventura” está mais para conto de fadas

Nilson Xavier

2025-07-20T17:21:11

25/07/2017 21h11

Rayanne Moraes e Bernardo Velasco (Foto: Blad Meneghel/TV Record)

Houve quem enxergasse semelhança entre a abertura de "Belaventura" e a de "Game of Thrones". Gustavo Reiz, o autor da nova novela da Record (estreia dessa terça, 25/07) afirmou que nunca foi uma intenção emular a série da HBO. De fato, a julgar pelo primeiro capítulo, "Belaventura" mais lembra um conto de fadas qualquer do que "GoT". Mesmo com a disputa de tronos da trama.

Cenografia e figurinos bonitos, direção segura e medalhões da Record no elenco garantiram um bom entretenimento. Todavia, o destaque maior foi o texto de Reiz, recheado de acontecimentos. Em mais de uma hora de exibição, muitos conflitos foram armados, apresentando vários personagens. Mas sem confundir.

Roteiro e edição trabalharam a favor do telespectador. Trata-se de um texto simples e direto, que fala despretensiosamente ao público, com tramas conhecidas de todos envolvendo arquétipos de contos de fadas e famosos romances de Idade Média. Estes, de acordo com o autor, suas verdadeiras inspirações. Com tantos dramas bem armados, deu vontade de continuar nessa história. Promete.

Leia também: "Não é inspirada em Game of Thrones, diz autor da nova novela medieval da Record".
Siga no FacebookTwitterInstagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.