Topo
Blog do Nilson Xavier

Blog do Nilson Xavier

"A Dona do Pedaço" mudou de fase e Maria da Paz se transformou em Lady Kate

Nilson Xavier

28/05/2019 11h16

Juliana Paes | Katiuscia Canoro (Fotos: divulgação)

Há mais de um ano, em uma de minhas críticas à novela "O Outro Lado do Paraíso", citei o quanto o humor de Walcyr Carrasco extrapola a caricatura, comparando seu texto com o do antigo programa "Zorra Total", cujo estilo de humor, ultrapassado, a Globo havia abandonado há anos. Na nova novela do autor, "A Dona do Pedaço", a mudança para a fase atual da história (no capítulo dessa segunda, 27/05) fez surgir uma nova Maria da Paz (Juliana Paes, a protagonista), rica depois de uma passagem de vinte anos. Rica, mas exageradamente cafona e afetada. "Eu tô pagaaanu!", diria Lady Kate, lembra dela?

Esqueça as referências da direção a Tarantino e Irmãos Cohen, vistas, nas fases anteriores, na trama das duas famílias de matadores que se odiavam. "A Dona do Pedaço" inicia agora sua fase definitiva, na atualidade, e, pelo pouco visto, não traz nada das inspirações anteriores. Já nas primeiras sequências, é perceptível o quanto tudo foi nivelado à potência máxima. A "nova" Maria da Paz agora é rica e cafona, como pede o roteiro. E muitos tons acima.

Juliana Paes (foto: reprodução)

Como é sabido, tudo no texto de Carrasco é exponencial, sem sutileza, didático, repetido tantas vezes que até uma criança de cinco anos possa fixar. A caracterização e os modos exagerados de Maria da Paz remetem a Lady Kate, a personagem de Katiuscia Canoro no finado "Zorra Total", do bordão "Dinheiro eu tenho, o que me falta é gramur". É basicamente o mesmo perfil: veio de baixo, enriqueceu e não sabe se portar e vestir, por isso exagera em tudo, no jeito afetado e nas roupas, joias e maquiagem.

Contradiz o perfil anterior de Maria da Paz, apresentada como uma mulher de modos simples, alegre e, ainda assim, um tanto discreta. Se ela fosse uma moça despachada e brega, seria o caso. Essa mudança brusca da protagonista soou gratuita, apenas para justificar o entrecho em que a filha sente vergonha da mãe só por ela ser cafona. Ainda assim, o resultado já é sentido na audiência. O capítulo dessa segunda-feira bateu o recorde da novela (prévia de 35 pontos no Ibope da Grande SP). Afinal, como nos tempos de "O Outro Lado do Paraíso", Carrasco é superlativo também na recepção do público.

PS: Que raio de sotaque é esse que Juliana Paes adotou para a nova fase de sua personagem? Faz parte do perfil over de Maria da Paz? Lembrando que é a segunda (ou terceira) vez que a dona do pedaço muda o seu jeito de falar.

Leia também, Chico Barney: "Fragmentada: Ju Paes muda de sotaque o tempo todo".

Siga no Facebook – Twitter – Instagram

Sobre o autor

Nilson Xavier é catarinense e mora em São Paulo. Desde pequeno, um fã de televisão: aos 10 anos já catalogava de forma sistemática tudo o que assistia, inclusive as novelas. Pesquisar elencos e curiosidades sobre esse universo tornou-se um hobby. Com a Internet, seus registros novelísticos migraram para a rede: em 2000 lançou o site Teledramaturgia (http://www.teledramaturgia.com.br/), cujo sucesso o levou a publicar o Almanaque da Telenovela Brasileira, em 2007.

Sobre o blog

Um espaço para análise e reflexão sobre a produção dramatúrgica em nossa TV. Seja com a seriedade que o tema exige, ou com uma pitada de humor e deboche, o que também leva à reflexão.

Blog do Nilson Xavier