Topo

Coluna

Chico Barney


Mal construída, Vivi Guedes só funcionou como garota-propaganda

Vivi Guedes fez a economia girar no Instagram e na Globo - Reprodução
Vivi Guedes fez a economia girar no Instagram e na Globo Imagem: Reprodução
Chico Barney

Chico Barney

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002.

19/11/2019 17h31

Resumo da notícia

  • Vivi Guedes fez muito merchan e caiu na boca do povo...
  • Mas o ineditismo da relação com publicidade foi mais forte que a trama da personagem.
  • Mal construída, a história aproveitou pouco as possibilidades propostas na sinopse.

A digital influencer vivida por Paolla Oliveira certamente terá um capítulo só seu na história da teledramaturgia nacional. Vivi Guedes foi uma revolução mercadológica muito importante para a Globo.

A Dona do Pedaço conseguiu transpor para a TV a dinâmica de publicidade das celebridades do Instagram —e também executou o caminho contrário com maestria. Com a exibição massiva de uma emissora aberta, o perfil na rede social ganhou relevância e alcance em tempo recorde. Na esteira dessa comoção, personagem e atriz estamparam as mais diversas campanhas em todas as mídias possíveis.

Mas do ponto de vista dramatúrgico, não há motivos para comemorar. A história de Vivi Guedes é um desastre. Mesmo seu traço de personalidade mais eloquente, ser uma digital influencer, foi tremendamente subutilizado pelo autor. Confinada em um estúdio fotográfico, passou seus dias como uma modelo encastelada dos anos 80, sem recebidinhos ou permutas. Não fez nenhuma viagem paga, nem foi reconhecida por fãs no shopping.

Além disso, o romance com Chiclete não chegou a render uma história sólida. Foi um emaranhado de cenas tórridas, não que eu esteja reclamando, mas sem qualquer desenvolvimento dos personagens. Para piorar, a vingança do ex, traído e ressentido, durou tempo demais, o que só deixou a situação ainda mais estapafúrdia.

A principal rainha dos publieditoriais no Brasil é uma personagem que está em cárcere privado há meses, sendo submetida a todo tipo de maluquice abusiva por um policial psicótico. Chega a ser curioso que a história pesada e esquisitona não tenha afastado os anunciantes da novela e do Instagram.

Paolla Oliveira merece os elogios que está recebendo pela performance. É verdade que exagerou nos trejeitos e no tom de voz, como se fosse uma personagem da Escolinha do Professor Raimundo. Analisando o contexto surreal da novela, talvez seja esse justamente o segredo do sucesso.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Chico Barney