PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Fefito


É preciso aplaudir a coragem de famosas que revelam denúncias de abuso

A atriz Juliana Lohmann contou em texto ter sido estuprada por um diretor de cinema aos 18 anos - Reprodução/Instagram
A atriz Juliana Lohmann contou em texto ter sido estuprada por um diretor de cinema aos 18 anos Imagem: Reprodução/Instagram
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

17/07/2020 15h20

Resumo da notícia

  • Somente nesta semana, Juliana Lohmann e Júlia Konrad trouxeram à tona denúncias de estupro
  • É preciso saber acolher as mulheres corajosas que revelam suas histórias
  • E, acima de tudo, é necessário fazer justiça sobre os abusadores

Nesta semana, duas atrizes trouxeram à tona denúncias de abuso sexual. Famosa por papéis em "Malhação" e "Joia Rara", Juliana Lohmann, em texto escrito para o site da revista "Claudia", afirmou ter sido estuprada por um diretor de cinema quando tinha apenas 18 anos. "Essas memórias perduraram por tempo demais no silêncio", afirmou a atriz, em sua rede social.

Dias depois, Júlia Konrad, que esteve em novelas como "O Sétimo Guardião" e "Geração Brasil", afirmou ter sido abusada pelo marido, enquanto estava casada. Ela afirmou ter sido submetida a estupros ao longo de anos.

Ao contrário do que ocorreu com Xuxa, que sofreu injustas críticas ao revelar ter sido abusada na infância, estas famosas receberam forte apoio nas redes sociais. Desde que a figurinista Su Tonani trouxe à tona denúncias contra José Mayer, o mundo artístico brasileiro está revendo várias histórias. De certa maneira, vivemos um movimento semelhante ao #MeToo, que pôs na cadeia o magnata do cinema Harvey Weistein, nos Estados Unidos.

Todas as denúncias devem ser apuradas com rigor. Não há mais tolerância para o machismo e sexismo em ambientes de trabalho, muito menos para criminosos. Mas, antes de mais nada, é preciso saber acolher as mulheres corajosas que revelam os abusos que sofreram. Ao celebrar sua bravura, outras vítimas podem vir à tona.

A coluna apurou que mais histórias devem surgir. Que as denúncias sejam feitas.

É este o assunto do vídeo da semana. Assista abaixo:

Fefito