PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Luisa Mell revela detalhes da floresta de 1 mi de m² que ganhou do marido

Luisa Mell irá construir santuário para animais silvestres e exóticos - Reprodução/Instagram
Luisa Mell irá construir santuário para animais silvestres e exóticos Imagem: Reprodução/Instagram
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

22/01/2020 15h39

Resumo da notícia

  • A área está localizada entre dois municípios na Grande São Paulo, Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires
  • Apresentadora está construindo um santuário para animais silvestres e exóticos na floresta

Apresentadora e ativista Luisa Mell conversou com a Coluna Leo Dias sobre seu ambicioso projeto de construir um santuário para animais silvestres e exóticos e revelou detalhes do lugar que irá abrigar bichos que já não podem mais viver em seu habitat natural. O terreno, uma floresta de um milhão de metros quadrados que de tão grande ocupa uma área entre dois municípios na Grande São Paulo, Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires, foi doado pelo marido da apresentadora e o gasto para construir o santuário será de milhões.

"Teremos que construir até a estrada que dá acesso ao local porque a atual é muito ruim e os caminhões com os animais que vamos resgatar não conseguiriam trafegar por lá. Além disso, terei que fazer toda a parte elétrica e monitoramento da fauna, e contratar um biólogo especializado em santuários desse tipo. Cada animal resgatado ficará em um único recinto e não será uma gaiola como a maioria dos zoológicos que já visitei e são vergonhosos. Certamente, se somar tudo, os gastos serão de milhões", diz Luisa, que atualmente já tem uma ONG que leva seu nome e conta com um hospital onde atende cães e gatos.

A previsão para abrigar o primeiro animal que ainda será resgatado é para o segundo semestre desse ano, se as obras não atrasarem. Para essa empreitada sair do papel, Luisa contou com ajuda de Anitta, quem ela faz questão de enfatizar que tornou tudo possível. Em setembro do ano passado, a apresentadora organizou um jantar beneficente em São Paulo com a presença da cantora, além de Isis Valverde e Rita Lee, homenageada daquela noite e também defensora da causa animal. Na ocasião, Luisa conseguiu arrecadar R$ 332 mil, que serão usados nas construções iniciais do santuário.

Anitta e Rita Lee no jantar beneficente  - Manuela Scarpa e Iwi Onodera/Brazil News
Anitta e Rita Lee no jantar beneficente
Imagem: Manuela Scarpa e Iwi Onodera/Brazil News

"O animal que me despertou para esse projeto foi um urso que estava num hotel que faliu em Aracaju. Ele ficou preso em um lugar minúsculo. Atualmente, eu salvo cães, gatos, cavalos, pássaros, porco, mas esses animais também tenho que conseguir resgatar. Estou dando entrada na papelada para conseguir resgatar animais silvestres, que até então só conseguia em parceria com outras ONGs. Como o terreno é bem grande, não vou construir nele todo, obviamente. Vou antes fazer monitoramento da fauna local e preservar porque para mim também é fundamental", explica a apresentadora.

Luisa chora ao lembrar que não conseguiu resgatar o urso que ficou no hotel em Aracaju. O animal morreu meses depois, e a ativista chegou a ficar depressiva por três meses ao pensar na situação que o bicho estava. Mas a tristeza acabou dando forças para ela lutar pela construção de um espaço próprio para recuperação de animais. Para entender o funcionamento dos santuários, ela foi à África aprender sobre as áreas de preservação do continente.

"Há pessoas que querem bolsas caríssimas, Chanel, bolsas de crocodilo etc. Eu não uso isso porque sou vegana. Então, meu marido me deu esse presente, foi bem caro. Ainda não não dá para saber quantos animais serão resgatados porque cada um que for salvo farei uma arrecadação. O santuário irá se manter da mesma forma que meu instituto se mantém: através de doações de pessoas físicas e empresas, e das vendas dos produtos da nossa lojinha. Nunca tive ajuda do governo", afirma ela, que faz questão de ressaltar que nunca teve ajuda do governo e costuma ser atacada ao se posicionar em defesa da Amazônia pela internet. Mas para os ataques, ela deixa um recado:

"Preservar uma área dessa magnitude é um presente para a humanidade e futuras gerações, como meu filho, que tem 4 anos. Estamos vivendo na beira do colapso ambiental total. O santuário é um mundo novo que estamos tentando construir, espero despertar esse novo olhar nas pessoas".

Leo Dias