PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Gusttavo Lima supera Beyoncé, bate recorde de views e muda conceito de live

Gusttavo Lima faz live-show e bate recorde - Reprodução/Youtube
Gusttavo Lima faz live-show e bate recorde Imagem: Reprodução/Youtube
Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

29/03/2020 16h30

20h em ponto do dia 28 de março de 2020. Após centenas de lives "caseiras" de quase toda a classe artística brasileira, começa a live-show de Gusttavo Lima. Em poucos minutos, o público já pode perceber o tamanho e grandiosidade do tal "show caseiro". Cenário criado exclusivamente para a ocasião, diversas câmeras de última geração mostravam todos os detalhes, drones sobrevoando o espetáculo e, principalmente, era perceptível uma altíssima qualidade da transmissão.

Gusttavo estava em sua fazenda em Bela Vista, que fica a 10 km de Goiânia, e tem internet através de fios subterrâneos. Autorizado pela Prefeitura, ele "puxou" a fiação e fez um show com altíssima qualidade de imagem.

O cantor estava relutante em fazer a live via Instagram, devido ao fato de que por várias vezes, a conexão cai e a qualidade vai pro beleléu. O cantor teve o cuidado de não convocar sua banda, seus músicos que sempre lhe acompanham. Eles não poderiam correr risco de contaminação. Ele preparou back-ups de seus grandes sucessos. A banda era gravada e a voz era ao vivo. Eram apenas três cinegrafistas, um diretor e cinco pessoas da equipe, todos com máscaras.

Menos de uma hora depois, toda a equipe de Gusttavo se surpreendia com os números altíssimos. Ninguém acreditava. Ao final, simplesmente o recorde mundial de visualizações em uma live no YouTube havia sido batido: 731 mil pessoas simultâneas, no total mais de dez milhões de visualizações. Números jamais alcançados. E Gusttavo foi 100% Gusttavo, a live durou simplesmente cinco horas, 12 minutos e 47 segundos.

E é preciso entender algo muito claro sobre Gusttavo Lima: ele não vive um personagem. Se ele gosta de asa de frango, ele come em pleno palco. Abre cerveja, horas depois entorna um uísque, e, lógico, fica embriagado e, com os efeitos do álcool a mil por hora, começa a se declarar para a mulher, Andressa Suita. E fazia piada sexual envolvendo o assunto do momento: o coronavírus. "Viu? Os casados agora é que estão transando, os solteiros estão f....", disse ele.

Mas um ponto deu à live de Gusttavo Lima um verdadeiro sentido a tudo aquilo. Ele já abriu a transmissão doando cerca de quatro toneladas de alimentos, através de empresa parceira. A partir daí, o que se viu, foi uma série de doações grandiosas, dignas de Teleton e Criança Esperança. Em cinco horas, foram mais de R$ 100 mil, dezenas de toneladas de alimentos e álcool gel.

Gusttavo fez a classe artística repensar o conceito de live e, principalmente, a entrega para o público. Prova maior é que Marília Mendonça enviou uma mensagem em tom de humor: "Gostaria de dizer, em nome do sindicato dos 'fazedores de ao vivo" que o senhor está inviabilizando o conceito de live e que não vai dar tempo de te copiar. Obrigada".

Na tarde deste domingo, a Coluna do Leo Dias conversou com o ainda atordoado Gusttavo Lima e sem ter a real dimensão de sua live, disse via WhatsApp: "Não esperava nada disso".

Por telefone, a conversa foi assim:
São 15h de domingo, você está de ressaca?

Estou com uma p*** de uma ressaca, e eu não sei que horas eu vou sair da cama. Bebi Bohemia e uísque.

Agora o básico: quem teve a ideia dessa live? Em quanto tempo vocês produziram? Quanto foi gasto? Teve patrocinador?

Todos me pressionaram muito para eu fazer uma live, mas queria fazer algo produzido, algo diferente. O Ancelmo (Trancoso, diretor de DVD), que é meu parceiro há mais de dez anos, não me cobrou nada. Eu só paguei o cachê dos trabalhadores, que foi entre uns 2 mil e 3 mil reais. Fizemos tudo em três dias.

Você cantou 100 musicas e ficou cinco horas no ar. Muito mais do que seu próprio show, que já é longo. Qual foi o critério de seleção?

Eu já gravei mais de 200 músicas, não queria que parecesse um show, mas um acústico, não esperava.

As doações foram um capítulo a parte, você acionou parceiros comerciais? Ou foi tudo espontâneo?

Eu tenho dez patrocinadores dos mais diversos tipos, e entre elas o Arroz Vasconcelos, que me oferecia uma tonelada de alimentos para eu doar a cada ano. Eu fiquei quatro anos sem pegar, por causa da minha vida muito corrida, não consegui cuidar disso. Antes da live, liguei para a fábrica e eles prontamente ajudaram. Mas durante a transmissão começaram a surgir, espontaneamente, doações de máscaras, álcool gel, e de repente, começaram a doar dinheiro e chegamos a R$ 200 mil. Entre produtos e doações, chegamos a mais de R$ 500 mil. Não fiz isso para aparecer, foi voluntário e vou prestar contas a todos. Quero doar esse dinheiro para a associação de médicos e enfermeiros, que são os verdadeiros heróis do Brasil neste momento.

Você tem noção que você superou a Beyoncé. Foi o artista que mais ganhou seguidor em um dia no Instagram, mais de um milhão. Era o assunto mais falado do Brasil no Twitter, isso durante o BBB, que tem muita força nas redes. Quero saber qual era a sua real intenção com a live: entreter ou ganhar um novo público e mais força na internet?

Só queria cantar pro meu público, nada mais. Eu juro, Leo. A gente faz live em todos os "Butecos" e a média é de 70 mil simultânea e 1 milhão ao todo. Eu achei que ficaria por aí, Nunca imaginei, no melhor dos meus sonhos, que isso aconteceria.

Dia 11 você fará uma outra live: o que o público pode esperar?

Vou convocar empresários e artistas para participarem comigo. Mas vamos dar uma atenção real às doações. Além da população, vamos convocar as grandes empresas, que terão suas marcas expostas durante a live, que agora eu sei que terá um grande alcance.

Leo Dias