PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Leo Dias


Apresentador Neto quer ir embora do país: 'Não quero mais essa vida louca'

Leo Dias

Leo Dias é jornalista e diretor-executivo do "TV Fama", da Rede TV!. Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP, passou pelas TVs Bandeirantes e RedeTV! e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistava políticos, jogadores de futebol, dirigentes e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal "O Dia" e também esteve nos jornais "Extra" e nas revistas "Contigo", "Chiques e Famosos", "Amiga" e "Manchete". Apesar dessa experiência, sempre se definiu como repórter, tamanha paixão pela apuração da notícia e pela vontade em produzir conteúdos exclusivos. Polêmico, controverso e dono de uma forte personalidade, Leo conquistou um público cativo por dar notas explosivas e audaciosas num mundo artístico mais conservador. Seu lema: "A fama tem um preço estou aqui para cobrar".

Colunista do UOL

06/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Ex-jogador diz que quer se mudar com a família para os Estados Unidos em alguns anos
  • Ele revela que recebe ameaças de morte com frequência e já teve vontade de abandonar as redes sociais
  • Fala, ainda, de como a cirurgia bariátrica mudou sua vida e o que motivou a decisão de perder peso

Rei das tretas e sem papas na língua, o ex-jogador Neto, apresentador do programa "Os Donos da Bola", da Band, conversou com o jornalista Leo Dias e revelou sua vontade de se mudar do Brasil em alguns anos: "Vou embora do país. Quando fizer 60 anos quero ir morar em Orlando. Quero ficar no anonimato, sabe? Quero ser uma pessoa comum, normal. Sou uma pessoa comum, mas sou muito famoso, sabe? Estou pensando em um nível daqui para lá e aí ganhar o suficiente para viver. Não quero mais ter essa vida louca que tenho todos os dias, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano".

Neto contou também que sua fama de polêmico afasta muita gente e que algumas pessoas temem conversar com ele. "As pessoas cagam de medo de falar a verdade na minha cara, talvez porque achem que sou um ogro, achem que vou cuspir na cara, ou porque achem que vou xingar."

O ex-jogador revelou, ainda, que decidiu fazer a cirurgia bariátrica cerca de dez anos atrás pois não estava mais conseguindo enxergar seu órgão íntimo na hora da relação sexual: "Eu estava pesando 125 quilos. Hoje eu peso uns 78 quilos. E a minha ro** cresceu três centímetros", garante.

O apresentador fez também críticas à postura dos jogadores brasileiros e de dirigentes de clubes diante da pandemia do coronavírus: "Acho que é uma falta de humanismo, de compaixão, de ter o entendimento que todas as pessoas que estão infectadas torcem para Vasco, Flamengo, Corinthians, Palmeiras ou Fluminense. Falei uma coisa no 'Donos da Bola': se todos os clubes da série A pudessem doar um respirador, seriam 20 respiradores, que custam R$ 125 mil cada. Nenhum [clube] deu, ninguém fez nada".

Confira, abaixo, trechos da entrevista:

O apresentador diz que quer ir viver nos EUA com a família - Divulgação
O apresentador diz que quer ir viver nos EUA com a família
Imagem: Divulgação
Leo Dias - Você se arrepende de alguma declaração?

Neto - Olha, dificilmente na minha vida tenho esse lance de me arrepender das coisas que faço errado. Por quê? Quando magoo uma pessoa, um jogador, ex-jogador, a mãe do jogador, o pai do jogador, faz parte da minha profissão. Não posso ficar pedindo desculpas toda hora para as pessoas, senão vou ser o "Zé Desculpa", entendeu? Agora, por outro lado, também não me importo com as críticas, o que é muito legal da minha parte. Acho que isso é uma coisa essencial. Talvez a minha família sofra mais com as críticas do que eu, caguei para as críticas. Na verdade, tive um entendimento como pessoa que caguei para todo o mundo. Aí, falo aquilo que vem na minha cabeça e tenho que ser responsável pelas coisas que falo. Foda-se quem ficar bravo, foda-se quem ouvir, e aquele que não quiser que mude de canal.

Como é que você vê o cenário do esporte neste momento? O que vai acontecer na volta, pós coronavírus?

Os salários dos jogadores vão ser repensados, porque é um absurdo um jogador ganhar R$ 1 milhão por mês. E não estou fazendo média, não. Um professor ganhar R$ 1.500 e apanhar. É um absurdo um cientista, de quem a gente está precisando hoje para entender o coronavírus, ganhar R$ 1.800 por mês. E um jogador de futebol ganhar 300 paus. Vou dar um exemplo: os jogadores do Barcelona aceitaram abaixar 70% dos salários deles para que o dinheiro fosse usado contra o coronavírus, ou Covid-19. Acho que o futebol e o mundo vão ter uma outra perspectiva de vida. Não só em termos financeiros, mas em termos de perdoar, de gratidão.

Você acha que os jogadores do Brasil vão tomar essa atitude, assim como tomaram os jogadores do Barcelona?

Na verdade, eles já deveriam ter feito isso e ninguém fez. Acho uma falta de humanismo, de compaixão, de ter o entendimento de que todas as pessoas que estão infectadas, e aqueles que vêm a falecer, torcem para Vasco, Flamengo, Corinthians, Palmeiras ou Fluminense. Falei uma coisa no "Donos da Bola": se todos os clubes da série A pudessem doar um respirador, seriam 20 respiradores, que custam R$ 125 mil cada. Nenhum deu, ninguém fez nada. Sabe quem está fazendo as coisas? São as pessoas. Eu, você, o fulano, ciclano, o pessoal da comunidade. Quem tem grana mesmo, quem tem o poder, ninguém fez porra nenhuma.

Alguém já pediu a sua cabeça na Band?

Já, já.

Quem?

O Zé Maria Marin [ex-presidente da CBF] já pediu. O Felipão [Luiz Felipe Scolari, técnico] já pediu. O Luxemburgo [técnico] já pediu. Que eu saiba esses três.

E aí, a direção da Band reage de que maneira?

Tenho 20 anos de Band, renovei o meu contrato até 2022. Trabalhei na Rede TV! também, durante quase três, quatro anos e foi muito bom lá. Trabalhei na Record. E, quando eles fizeram isso, fiquei com muito medo. Por quê? Porque as pessoas poderosas conseguem muitas coisas sem aparecer, no anonimato, sabe? É o vírus do mal. Mas fui chamado e, muito pelo contrário, só me fortaleci.

Também tem que saber o nível do ataque, né? Você não pode chegar a um nível pessoal. Você concorda?

Isso. Tem muita gente que não suporto no futebol. Tem muita gente que não suporto na televisão. Conheço pessoas que não são aquilo que aparentam ser. Por sinal 90% das pessoas. Então, é por isso que pessoas como você, como eu e tantas outras que trabalham nesse segmento são confrontadas. Agora, não deixei de falar da CBF porque ganhou R$ 1 bilhão ontem e não doou nada. Nós temos 28 federações e ninguém doou nada. Não adianta o Corinthians, o Palmeiras, o São Paulo, o Flamengo doarem os estádios, se você não tem grana para fazer um ambulatório. Como é que você vai ter um enfermeiro, um médico? Não é só doar o espaço. Mas já tive medo de ser mandado embora por tudo isso. Já tive medo, sim, de perder o emprego por isso. Mas o sr. Johnny Saad [presidente do Grupo Bandeirantes] nunca deixou isso acontecer. Essa eu acho que é a grande força da Band, essa identificação da verdade e esse entendimento de que as pessoas que trabalham ali trabalham em função da TV Bandeirantes.

Você já falou da sua mulher, que ela fala a verdade na sua cara. As pessoas têm medo de falar a verdade na sua cara?

As pessoas cagam de medo de falar a verdade na minha cara.

E ela te surpreendeu por isso? Ela te surpreendeu por não ter medo de você?

Na verdade, ela não tem medo de mim, mas nem um pouco. É isso que mais me deixa puto, para falar a verdade. A única pessoa que não tem medo nenhum de mim é ela. Talvez por isso que eu a ame tanto, né? E é a mãe dos meus filhos, o que é muito legal. Mas acho que muitas pessoas têm medo de falar comigo talvez porque achem que sou um ogro, porque achem que vou cuspir na cara, ou porque achem que vou xingar

Por conta das suas opiniões você já sofreu algum tipo de reação polêmica ou chata na rua?

Na verdade, tenho ameaças de morte constantes.

Ele diz que recebe ameaças de morte pela internet com frequência - Divulgação
Ele diz que recebe ameaças de morte pela internet com frequência
Imagem: Divulgação
Mas você acha que isso não é da boca para fora, Neto? Iam te ameaçar de morte só por causa da sua opinião?

É assim: eu recebo ameaça de morte quando as pessoas descobrem o meu telefone. Eu recebo ameaça de morte toda hora na internet, no Twitter, no Facebook e no Instagram. Eu só fiquei triste uma vez, se você quer saber. Quando uma pessoa falou que o meu filho ia morrer de câncer e que a minha mulher era puta. Aí eu fiquei muito triste. Eu até quis sair da internet, mas a minha mulher falou: "Mas espera aí! Você vai se preocupar com uma crítica, sendo que você tem milhões de seguidores? Você não pode fazer isso". Por exemplo: eu já tive alguns problemas em shopping, tipo assim, estou descendo a escada rolante e o cara está subindo e me xinga: "Ô, seu filho da puta, corintiano do caralho!". Só que ele subiu a escada rolante né? Graças a Deus! Nunca briguei com ninguém.

Você fez a operação bariátrica, né?

Fiz.

Como é que era a sua vida antes?

Na verdade, fiz a minha operação bariátrica, porque uma vez estava transando e não vi o p**. Aí falei: "Pô, estou em uma situação muito difícil, muito fodida". É muito desagradável a pessoa não conseguir enxergar o pinto, né? Aí fui no médico. Já tem dez anos que fiz a cirurgia. Eu estava pesando 125 quilos, hoje eu peso uns 78 quilos. E a minha ro** cresceu três centímetros. Aí tive acompanhamento, parei de comer gordura.

Ah, você parou? A sua alimentação hoje é toda regrada, então?

Comecei a comer melhor. E tenho uma vantagem também, parei de beber. Há 19 anos não tomo bebida alcoólica e não fumo há 14 anos, porque um amigo meu morreu de câncer e meu filho nasceu. Não fiz promessa, porque não acredito nisso, mas aí parei de beber e fumar. Parando de beber e de fumar, também melhorei muito. A minha vida ficou mais saudável.

O que você quer para a sua vida no futuro? Como é que você se vê daqui a um tempo, Neto?

Eu vou embora do país. Quando fizer 60 anos, quero ir morar em Orlando. Quero que os meus filhos possam fazer uma faculdade lá. Quero ficar no anonimato, sabe? Quero ser uma pessoa comum, normal. Eu sou, entendeu? Sou uma pessoa comum, mas sou muito famoso, sabe? E a gente já está tirando green card [visto para viver nos EUA], tudo bonitinho. Nunca fui de pensar em futuro assim, mas quero com mais seis ou sete anos, ir morar em Orlando. E quero viver uma vida mais saudável, sabe?

Você quer trabalhar em algum veículo de mídia brasileiro lá de Orlando?

Isso, quero arranjar. Estou pensando em um nível daqui para lá e é aí ganhar o suficiente para viver. Não quero mais ter essa vida louca que tenho todos os dias, 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano.

Mas que vida louca, Neto?

Na verdade, assim, trabalho todo dia. Todo dia tem que dar pau, todo dia tem que dar cacetada, todo dia tem que buscar, ir atrás, todo dia você tem que estar em uma vibe.

Tem que estar bem para aparecer na televisão, né?

É, você tem que estar magro para aparecer na televisão. Você tem que fazer a barba, saber a concordância, machucar as pessoas. Mas, ao mesmo tempo, você sabe que isso dá audiência. Você tem que buscar outros horizontes em determinados momentos. Você tem que fazer muitas outras coisas no dia a dia. Gosto de fazer isso, adoro fazer, amo fazer. Mas tenho certeza de que daqui a uns cinco anos vou dar uma parada. E aí a minha vontade mesmo é de pegar a Sandra, meus filhos e falar assim: "Vamos viajar um mês, vamos para a Tailândia". "Vamos para Paris. Vamos para Santo Antônio de Posse. Vamos para Niterói. Vamos ficar um mês lá, sem preocupação de horário, sem ter que acordar, é só isso." Não sei se é uma utopia, mas é o que estou pensando no momento, principalmente agora. Acho que nunca fiquei tanto com a minha família como agora.

Leo Dias