PUBLICIDADE
Topo

Na reta final, clima está tranquilo na casa, mas irrespirável na internet

Enquanto Manu e Rafa descansam tranquilas, fãs e haters de todos os participantes do BBB 20 se ofendem nas redes sociais - Reprodução/Globoplay
Enquanto Manu e Rafa descansam tranquilas, fãs e haters de todos os participantes do BBB 20 se ofendem nas redes sociais Imagem: Reprodução/Globoplay
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

21/04/2020 15h32

O "BBB" acontece, há muitos anos, em duas dimensões paralelas - na televisão e na internet. Fundado no poder de decisão do público, via voto, o reality show da Globo é um campeão de engajamento.

Além do consumo intenso de informações e opiniões em sites, o BBB transborda para as redes sociais. Inicialmente no Orkut, depois no Twitter, no Facebook e hoje também muito fortemente no Instagram, fãs do programa encontram nestas plataformas o ambiente certo para identificar afinidades e organizar votações.

Nas semanas iniciais, quando as torcidas ainda não estão totalmente estabelecidas, é muito divertido acompanhar o "BBB" pelas redes sociais. Mas, à medida que o jogo avança, um fenômeno se repete todo ano: as boas conversas viram brigas, as opiniões dão lugar a ofensas e a civilidade desaparece.

Na reta final, enquanto os últimos sobreviventes tendem a uma convivência pacífica, na internet o ar fica irrespirável. É sempre assim. Mas dois fatores fizeram com que a situação se tornasse ainda pior no "BBB 20".

Primeiro, o fato de a edição ter proposto a participação de nove figuras conhecidas, muitas delas com presença muito significativa nas redes sociais. Com milhões de seguidores, estes participantes já começaram o "BBB 20" com torcidas prontas. Isso elevou a temperatura dos debates mais cedo ainda.

E o segundo problema foi a quarentena forçada por causa da pandemia de coronavírus. Com mais gente em casa, menos programas novos na TV e sem futebol, o "BBB 20" se tornou um entretenimento solitário na grade da Globo. Como bem observou o roteirista e ator Daniel Furlan no programa "Papo de Segunda", no GNT, virou uma batalha campal.

"(As pessoas) estão apresentando a mesma paixão, cegueira e loucura que eram depositadas em um esporte viril. Agora o BBB virou o reality show viril", disse Furlan.

Uma pena.

Mauricio Stycer