PUBLICIDADE
Topo

Com clima péssimo no SBT, Silvio quer exibir reunião do governo Bolsonaro

Silvio Santos e Jair Bolsonaro  - Divulgação / SBT
Silvio Santos e Jair Bolsonaro Imagem: Divulgação / SBT
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

24/05/2020 12h17

O cancelamento da edição de sábado do "SBT Brasil" não foi a única novidade na emissora neste final de semana. As emoções continuam neste domingo (24). Silvio Santos manifestou a intenção de exibir ainda hoje a íntegra da reunião ministerial do governo Bolsonaro, ocorrida em abril e liberada por decisão do STF na última sexta-feira.

Segundo o jornal digital Poder360, Silvio assistiu ao vídeo com a integra da reunião ainda na sexta-feira e entendeu que o conteúdo é positivo para o presidente Jair Bolsonaro. "Ele fala o que as pessoas querem ouvir", teria dito o empresário e apresentador, conforme o relato do site do jornalista Fernando Rodrigues.

A coluna confirmou que Silvio, realmente, manifestou ao SBT a intenção de exibir a entrevista. Ele chegou a cogitar mostrar o vídeo durante o seu programa, que vai ao ar a partir das 20h.

O clima no departamento de jornalismo do SBT está péssimo. Conversei com algumas pessoas neste domingo e a perplexidade é geral. A decisão de cancelar a edição do "SBT Brasil" de sábado ainda não foi digerida.

Pela primeira vez na história, o principal telejornal da emissora, no ar desde agosto de 2005, não foi apresentado (no lugar, foi exibida uma reprise do "Triturando", um programa de fofocas). Como relatei na coluna, o cancelamento teve motivação política e foi uma determinação do próprio Silvio Santos.

Em postagem no Twiiter, o deputado Fabio Faria (PSD-RN), que é casado com Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, confirmou a intenção do apresentador de exibir o vídeo da reunião em seu programa e negou que o cancelamento do "SBT Brasil" de sábado teve motivação política.

"Mentira, mentira, mentira. Jamais houve reclamação do governo sobre a divulgação do famoso vídeo no SBT. O governo comemorou o vídeo. Jamais o Silvio aceitaria qualquer tipo de interferência. Tanto que o vídeo vai na íntegra hj no programa dele que é o de maior audiência do SBT", escreveu.

Registre-se que o "famoso vídeo", como diz o deputado, não foi exibido no SBT na sexta-feira. O que foi ao ar, no "SBT Brasil", foi uma reportagem com trechos selecionados do vídeo. E foi esta reportagem que teria causado reclamações do governo.

A reportagem do "SBT Brasil" mostrou os trechos em que Bolsonaro fala da tentativa de trocar "gente da segurança nossa no Rio" e diz "vou interferir e ponto final". Também a reclamação do presidente que não recebe informações da Polícia Federal, assim como a irritação de Bolsonaro com os governadores.

Também foi exibida fala da ministra Damares Alves dizendo que pedirá a prisão de governadores e prefeitos, a intenção do ministro Ricardo Salles de aproveitar a cobertura da pandemia para aprovar mudanças de normas de interesse do governo, além do comentário ofensivo do ministro Abraham Weintraub sobre os ministros do STF.

Aliados do presidente têm divulgado outros trechos, e não estes exibidos no telejornal, nas redes sociais. Em um, Bolsonaro critica ações policiais de repressão a pessoas circulando nas ruas durante a pandemia. E se diz favorável a armar a população.

O excesso de palavrões ditos na reunião seria um empecilho à ideia de exibir a íntegra da reunião do "Programa Silvio Santos" deste domingo. O dono da emissora não quer cobrir o som das palavras vulgares com um sinal estridente - ele acha bom mostrar com os palavrões.

Uma outra opção seria exibir a íntegra do vídeo da reunião depois do "Programa Silvio Santos", à meia-noite. Neste horário vai ao ar o programa de entrevistas "Poder em Foco", apresentado por Fernando Rodrigues. O convidado desta semana é o ex-candidato presidencial Fernando Haddad (PT).

No Twitter, neste domingo, Haddad fez duas postagens a respeito. Inicialmente, ele divulgou uma notícia sobre a entrevista, informando que ela vai ao ar neste domingo, à meia-noite. Uma hora depois, ele republicou com uma piada: "Ou não".

Tudo é possível no SBT em 2020.

Mauricio Stycer