Topo

Segundo Sol

Beto Bobão: a trajetória do herói que virou bocó em "Segundo Sol"

Reprodução/Globo/montagem/UOL
Beto Falcão teve trajetória atrapalhada em "Segundo Sol" Imagem: Reprodução/Globo/montagem/UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

09/11/2018 04h00

"Segundo Sol" chega ao fim nesta sexta (9) após uma série de reviravoltas e paternidades descobertas. Mas, se a ideia original era concentrar o protagonismo em Beto Falcão (Emilio Dantas), um cantor de axé que fingia a própria morte para ganhar popularidade e dinheiro, o resultado saiu bem diferente.

Rapidamente, a história foi substituída pela do roubo de Valentim (Danilo Mesquita), filho de Beto e Luzia (Giovanna Antonelli) roubado por Karola (Deborah Secco) e Laureta (Adriana Esteves) logo após o nascimento. 

A trama de Beto foi sendo esvaziada ao longo de toda a novela, e o personagem se perdeu em meio a narrativas que beiravam o absurdo -- muitas vezes carregadas pela ingenuidade excessiva do cantor. Relembre a trajetória complicada do personagem em 7 momentos:

  • João Cotta / TV Globo

    Início promissor

    A trama de "Segundo Sol'" iniciou sua história centrada em Beto, uma figura quase mítica na Bahia em um passado não muito distante, mas que havia caído no ostracismo. Com a carreira indo de mal a pior, ele só pensava em uma forma de ajudar a família enquanto lidava com a frustração de perder seu brilho.

    Tudo mudou quando ele foi dado como morto após um acidente de avião -- no qual ele nunca embarcou. Foi quando o cantor voltou com tudo para a boca do povo, e rapidamente se tornou um fenômeno póstumo. Beto não queria mentir para os fãs, mas aceitou prolongar a farsa enquanto via os boletos da família Falcão serem pagos.

    Foi um ótimo gancho inicial e ajudou a definir o personagem como uma figura ambígua.

  • João Cotta/Globo

    Galã e carismático

    Para se esconder do mundo exterior, Beto cortou os dreads -- e se tornou, como em um passe mágica, irreconhecível. Foi viver na ilha de Boiporã, onde resolveu passar um tempo para deixar a poeira de sua falsa morte baixar. Nunca imaginou, no entanto, que lá conheceria o amor de sua vida, Luzia.

    A química entre os dois foi imediata e Beto vendeu a imagem de um homem sedutor, bom coração, príncipe encantado mesmo. Muitas adversidades separam o casal e eles passaram anos sem se ver, mas valeu para criar uma dupla que tinha tudo para conquistar o público, ainda mais considerando que os dois tinham um elo forte: um filho, Valentim (Danilo Mesquita).

  • Reprodução/Globo

    Mocinho ou vilão?

    Anos se passaram e Beto foi se tornando um homem amargo e cheio de culpa por seus segredos. Ao mesmo tempo acomodado, desfrutava de uma vida de luxo, mesmo sabendo que a fortuna viesse às custas da mentira de sua morte.

    Foi se desenhando cada vez mais um homem atormentado, entre o conforto de uma vida fácil e sua consciência, o que também parecia um futuro promissor para a história de um anti-heroi no horário nobre. Mas logo a trama mostrou que ele ia preferir um caminho diferente.

  • Reprodução/Gshow

    Luziaaaaa!

    Uma das cenas mais emblemáticas do início da novela foi quando Beto, após ver a amada andando na rua após anos sem contato, saiu gritando desesperado: "Luzia! Luzia!". Foi aí que começou a desandada absoluta do personagem.

    Aos poucos, os conflitos que pareciam ser os principais da história foram deixados de lado por um jogo de gato e rato entre o casal, uma situação de confiança e desconfiança mútua que era ao mesmo tempo contraditória e cansativa. Beto tinha todos os motivos para desconfiar dela, mas se esforçou para ir atrás.

  • Reprodução/GShow/Segundo Sol

    É burrice que chama?

    Não bastasse isso, o casal de mocinhos da trama, que já havia superado toda sorte de revezes, começaram a ser feitos de idiotas por praticamente todos os integrantes.

    Beto continuou casado com Karola (Deborah Secco) mesmo sabendo que ela poderia estar por trás do sumiço do seu bebê com Luzia. Já a ex-marisqueira acreditou em todos os contos da carochinha da vilã e acabou presa de novo.

    Com um casal de protagonistas tão ingênuo, não é de espantar que tenham perdido espaço para outras tramas, como o triângulo Rosa (Letícia Colin), Valentim e Ícaro (Chay Suede).

  • Reprodução/TV Globo

    Rendenção, será?

    Beto parecia ensaiar uma redenção. Ele decidiu apoiar sua amada e revelar ao mundo a verdade sobre sua falsa morte, retomando seu prestígio. Seria uma forma de colocar o personagem de volta nos trilhos, se a situação não fosse tão inverossímil.

    Por que ele tinha que revelar que seu nome não era Miguel e sim Beto Falcão para inocentar Luzia? Afinal, se Miguel foi testemunha do processo, a revelação mudava o quê? E os fãs que execraram o cantor quando ele contou a verdade e voltaram a amá-lo de uma hora pra outra?

    Depois de tudo isso, Beto e Luzia ainda foram enganados de novo pela falsa morte de Remy (Vladimir Brichta). Luzia, que tanto confiava nele, voltou a mentir, e Beto, tão sensível, não sabia mais em quem acreditar. E a carreira de cantor adorado no meio disso tudo? Resumiu-se a uma apresentação na Fátima Bernardes...

  • Reprodução/Globo

    Coadjuvante até no fim

    Beto e Luzia devem ter seu final feliz, mas não antes de sofrerem mais uma vez nas mãos de Laureta. Na reta final, quem mobilizou o público mesmo foi Karola e seu drama ao saber que era filha da cafetina. As juras de vingança das duas vilãs eclipsaram o casamento dos "protagonistas".

    E aquele ato final, que devolveria toda a aura de heroi ao protagonista? Bem, ao que tudo indica, caberá também à vilã Karola, que se sacrificará para salvar Valentim. Fica para a próxima, Beto.