Topo

Novelas


Cinco lições que "O Sétimo Guardião" poderia aprender com "Os Mutantes"

Globo/João Cotta/Divulgação/Record/Montagem UOL
"O Sétimo Guardião", da Globo, poderia aprender algumas coisas com "Os Mutantes", da Record Imagem: Globo/João Cotta/Divulgação/Record/Montagem UOL

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

2019-03-18T04:00:00

18/03/2019 04h00

A Record TV reestreia hoje um dos maiores sucessos de sua dramaturgia: "Mutantes: Caminhos do Coração". A novela foi alvo de críticas e piadas por seus efeitos visuais um tanto toscos e muitas situações bizarras, mas é inegável que elevou os índices de audiência da emissora.

É o tipo de fama que falta, por exemplo, à atual novela das 21h da Globo, "O Sétimo Guardião", que vê sua audiência cambaleando e ainda se tornou o cenário de diversas polêmicas envolvendo desde direitos autorais a brigas entre colegas de elenco.

Com tantos percalços, "O Sétimo Guardião", que também tem um pé na fantasia, podia aprender umas lições com a história da concorrente pra injetar alguma animação no público.

O UOL lista algumas das lições que o folhetim de Aguinaldo Silva poderia aprender com o de Tiago Santiago:

  • Reprodução/Record

    Cadê a fantasia?

    Ambas as tramas bebem na fonte --trocadilho intencional-- do realismo fantástico, mas enquanto "Os Mutantes" abraçava de vez a fantasia, a novela da Globo parece com medo até de flertar com ela. A história da Record era cheia de personagens com habilidades fantásticas, que se transformavam em animais, voavam, escutavam pensamentos, faziam objetos flutuarem e abusavam do surrealismo.

    Com a promessa da volta do realismo fantástico no horário nobre, "O Sétimo Guardião" trouxe a tal fonte mágica, compoder de curar pessoas, que não teve muitas funções na trama além dos personagens ficaram falando sobre a "importância" dela. O gato León, que se transformava em gente, também já deixou a novela. Quem sabe não falta uns bons reptilianos pra tirar Serro Azul do marasmo?

  • Record/Divulgação

    Interior bucólico

    A ideia de uma cidadezinha do interior, localizada no fim do mundo, onde pouco acontece, parece ser levada às últimas consequências em "O Sétimo Guardião". A novela foi divulgada como se fosse um grande épico de aventura, mas o ritmo é muito lento, com pouquíssimos acontecimentos de impacto.

    "Os Mutantes", apesar das limitações técnicas, tinha um ritmo acelerado. Mesmo que a trama principal demorasse a andar, os capítulos eram recheados de cenas de ação, perseguição e luta, que podiam não ser as mais bem dirigidas, mas mantinham a novela sempre energizada. Alguém manda um lobisomem pra Serro Azul!

  • Reprodução/Youtube/Record

    Mistéeeerio

    De acordo com o colunista do UOL Flávio Ricco, em breve, um serial killer irá invadir a novela de Aguinaldo Silva, eliminando um a um os guardiões da fonte mágica. Parece familiar? Sim, logo na primeira temporada de "Os Mutantes", uma pessoa misteriosa contratava assassinos de aluguel para matar os empresários da Progênese, empresa médica responsável pela criação dos mutantes.

    A diferença é que a novela da Record estava toda escorada nessa história, e soube usar de vários argumentos para prender a atenção do espectador com o mistério. Por sua vez, "O Sétimo Guardião" parece estar usando o recurso como um tapa-buraco, para resolver os problemas da história.

  • Divulgação/Record

    É o amor?

    Acredite se quiser: os casais da novela em que as pessoas ficavam invisíveis tinham mais química do que os do folhetim das 21h da Globo. O casal protagonista, vividos por Bianca Rinaldi e Leonardo Vieira, conseguiu cativar os espectadores com seus muitos perrengues, e a novela ainda teve uma série de casais coadjuvantes ao longo de suas duas primeiras temporadas que chamaram a atenção, como os os formados por Paulo Nigro e Liliana Castro e Ângelo Paes Leme e Thaís Fersoza.

    Enquanto isso, a pobre Luz (Marina Ruy Barbosa) pena entre os paspalhos Gabriel (Bruno Gagliasso) e Júnior (José Loreto) em "O Sétimo Guardião".

  • Reprodução/Twitter

    O rei Meme

    Sejamos sinceros: quantas pessoas ainda se lembrarão das reuniões dos guardiões ou dos impropérios de Valentina (Lilia Cabral) quando a novela das 21h terminar? Doze anos depois de sua estreia, "Os Mutantes" ainda ocupa um lugar no imaginário popular. O mero anúncio de sua reprise foi parar direto nos tópicos mais comentados do Twitter no mundo.

    A novela virou uma verdadeira máquina de memes nas redes sociais e cenas suas são lembradas até hoje. Frases como "Que sapão!" viraram expressões usadas até hoje. Aguinaldo Silva bem que podia chutar o balde e apostar no "fale bem, ou fale mal, fale de mim!".