Topo

O Sétimo Guardião

Escritor processa Globo e pede reconhecimento como coautor de novela

Arquivo Pessoal/Silvio Cerceau
Aguinaldo Silva posa ao lado de Silvio Cerceau, escritor que processa novelista e a Globo Imagem: Arquivo Pessoal/Silvio Cerceau

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

27/11/2018 20h48

O escritor Silvio Cerceau enviou à Justiça uma petição pedindo a inclusão da TV Globo no processo em que solicita o reconhecimento como coautor de "O Sétimo Guardião". Ex-aluno de Aguinaldo Silva, Cerceau alega que a trama das 21h foi elaborada durante um curso ministrado pelo novelista em 2015 e pede agora a inclusão da Globo, também como ré, na ação que move contra o autor.  

"O objeto da lide é o reconhecimento de Silvio Santos Cerceau como coautor da sinopse e do primeiro capítulo da novela 'O Sétimo Guardião' e indenização pecuniária dos créditos referentes aos direitos patrimoniais e morais da obra", diz o documento ao qual UOL teve acesso.

"É fato incontroverso que a Rede Globo adquiriu do Aguinaldo Silva a obra 'O Sétimo Guardião' (atual 'novela das 9'), sem, contudo, firmar compromisso, contrato etc. com os coautores", prossegue o texto.

Procurada, a Comunicação da Globo informou ao UOL que a emissora não recebeu nenhuma intimação formal até o momento.

Reprodução/TV Globo
Globo concede créditos e cita alunos como "colaboradores" de "O Sétimo Guardião" Imagem: Reprodução/TV Globo

Depois de muita discussão e ameaça até mesmo de cancelamento da produção, a própria Globo manifestou o seu interesse em dar os créditos aos alunos durante o processo que corre no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, conforme revela outro documento.

Nos créditos da novela das 21h, a Globo tem citado os 26 alunos da Master Class comandada por Aguinaldo como "colaboradores". É aí que entra a queixa de Cerceau e outros alunos: eles alegam que não são colaboradores e sim, coautores.

Na semana passada, outros seis alunos já haviam entrado na Justiça buscando o reconhecimento autoral e a remuneração pela sinopse da trama. Ariela Massotti, Danilo Castro, Ryllberth Ribeiro, Valtair Barbosa, Washington Duque e Weber Lasaro. A ação é movida contra Aguinaldo Silva e TV Globo.

"Não sou eu quem decido"

Durante a coletiva de lançamento da novela, tanto a Globo quanto Aguinaldo se esquivaram de perguntas feitas por jornalistas relacionadas ao imbróglio jurídico.

Ao UOL, Aguinaldo Silva chegou a declarar que não sabia mais quais os créditos apareceriam na abertura da próxima novela das nove. "A novela não é minha, é da Rede Globo. Quem decide o que vai ou não sair nos créditos é a Globo e eu acatarei o que a emissora decidir. Não sou eu quem decido", disse.