Coluna

Ricardo Feltrin

No país, das maiores TVs abertas, só Record cresceu no ibope em junho

Reprodução/Record
Reprise de "A Escrava Isaura" (2004), com Bianca Rinaldi, tem dado excelentes médias de ibope no país Imagem: Reprodução/Record
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

03/07/2017 15h57Atualizada em 03/07/2017 15h57

Dados consolidados de audiência da Kantar Ibope mostram que no mês passado a única emissora aberta que registrou algum crescimento foi a RecordTV. Ainda que pequeno.

Na média 24 horas, pelo Painel Nacional de Televisão, a Record fechou junho com 5,4 pontos, contra 5,3 registrados em maio.

Ficou à frente do SBT, que terminou o mês com  5,24 pontos (5,27 em maio).

A Globo também teve oscilação negativa: de 14,1 pontos em maio, passou para 13,8 pontos em junho.

Band (1,5 ponto) e RedeTV! (0,4 ponto) ficaram nos mesmos índices pelo segundo mês.

Segundo a Kantar Ibope, cada ponto de audiência no chamado PNT equivale a cerca de 240 mil domicílios. O PNT aborda as 15 principais regiões metropolitanas do país. Ou seja, esse não é um índice que representa a população brasileira inteira, apenas a que mora nos maiores centros.

A Record também registrou melhoria em sua faixa nobre (das 18h à 0h). Nesse período ela terminou junho com 9,1 pontos --16% a mais do que o SBT.

Um dos motivos da boa performance da Record na faixa nobre é a reprise de "A Escrava Isaura", que tem dado médias acima de 13 pontos no país. Mais, inclusive, do que os 12 pontos da inédita "O Rico e Lázaro". 

TV PAGA NO PAÍS

Os canais exclusivamente pagos também repetiram em junho a mesma audiência de maio: 8,2 pontos (média de audiência também nas 15 regiões metropolitanas medidas pela Kantar Ibope).

IBOPE EM SÃO PAULO

Na Grande São Paulo, porém, quem ficou com a vice-liderança foi o SBT --pelo terceiro mês consecutivo. A emissora de Silvio Santos marcou 5,3 pontos contra 5,1 pontos da Record.

A Globo ficou em primeiro com 13,7 pontos. Na Grande SP, cada ponto de audiência vale por 70,5 mil domicílios sintonizados.

É importante notar que em São Paulo, região que ocorreu o corte de sinais dos canais Simba, o SBT praticamente já recuperou toda a audiência que tinha no período pré-corte.

Em março, quando ainda era transmitida pelas maiores operadoras na região, a emissora de Silvio marcou 5,4 pontos. No mês passado fechou com 5,3 pontos.

Quem mais perdeu de lá pra cá foi a Record, que caiu de 6,0 (março) para 5,1 (junho). Uma queda de 15%

Leia também:

Simba contrata ex-presidente da Sky para retomar negociação com operadoras

Sem conseguir acordo, emissoras da Simba recuam e aceitam voltar à TV paga

colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo