Coluna

Ricardo Feltrin

Dez programas muito ruins exibidos na TV por assinatura; sugira outros

Reprodução
A miniatriz e modelo Alana em cena de "Here Comes Honey Boo Boo", do canal TLC Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

04/07/2017 07h02Atualizada em 04/07/2017 09h20

A TV por assinatura é uma fonte de diversão e cultura importante, mas é duro de acreditar  que a gente pague mensalidades caras para assistir a alguns absurdos.

A coluna decidiu hoje listar dez programas que poderiam nunca ter feito parte da programação das operadoras, de tão ruins ou ridículos. No final do texto, deixe seu comentário.

Em Busca do Pé Grande - Exibido pelo Discovery Channel é uma daquelas coisas que você se pergunta como é que um canal dito educativo se propõe a exibir. Os “caçadores” estão sempre  ouvindo ruídos que só eles ouvem, e sombras que só eles veem no meio da mata densa. Ainda assim, depois de quatro temporadas nenhum pé grande ou pequeno foi encontrado. Oremos. Pelo pobre pé grande, claro.

Alienígenas do Passado - Esse passa no The History Channel. Nesse programa, que já dura quase 10 anos, qualquer coisa que você imaginar --dinheiro, artes, armas, açúcar, álcool, porquinhos da índia-- pode ter sido introduzido em nossa cultura por alienígenas, segundo a massacrada “teoria do antigo astronauta”. Seriam ETs manipulando a mente dos chefes do History?

Muquiranas - Atração (sic) do canal TLC, trata-se de um dos programas mais deprimentes já exibidos na TV mundial. Ele acompanha a vida de gente doente ao extremo com dinheiro, que vive com restos de  lixo; ou, pior ainda, de favor alheio. Vale tudo para essa gente literalmente miserável não gastar um só centavo com a própria subsistência ou de sua família.

Meu Grande Casamento Cigano - Outra bomba do TLC, poderia ser um programa sobre a cultura dos ciganos, povo que enfrenta preconceito e perseguição há séculos. Mas na verdade se concentra apenas no enorme ego das participantes. Não raro tudo termina em brigas verbais e mesmo na pancadaria. Um show de horror, mas que você precisa pagar  para assistir na sua TV.

Wags - Exibido pelo E!, é um dos reality shows mais idiotas de todos os tempos. Mostra um grupo de mulheres cafonas, a maioria inútil e improdutiva, cuja única atividade é ostentar gastos e bens adquiridos com o dinheiro dos maridos (esportistas ricos). Porque elas mesmas, basicamente, não têm nada na vida, a não ser os gigantescos egos e as enormes línguas usadas para falar mal dos outros.

Acumuladores Compulsivos - Esse passa no canal A&E e tem até um “cover” de nome parecido no canal Home & Health. De semelhante, ambos exploram e expõem na TV pessoas com sérios distúrbios mentais, que fazem com que elas morem no meio de lixo, de insetos e outros bichos. Todas se afastam de suas famílias. Não tem nada de didático. É pura exploração da miséria alheia.

Ironias da História - Quem disse que só canais de comportamento exibem asneiras? Este é do educativo canal H2. Nele são contados detalhes picantes e fofocas sobre personagens da história norte-americana. Até aí tudo bem. O problema é que as histórias são permeadas por gracinhas e piadinhas imbecis de convidados, como se fosse um programa de fofoca do E!

A Médium - Outra "bomba do TLC. Nem é questão de duvidar da fé alheia, mas do evidente charlatanismo da suposta médium Theresa Caputo e suas incessantes "comunicações astrais". Por exemplo, ela vê uma senhora de 80 anos num mercado e já adivinha: "Sua mãe morreu há muito tempo!" Não, madame. A mãe dela tem 113 anos e está logo ali empurrando o carrinho. Oras, por favor...

Monstros da Montanha - Outra “pérola” da TV paga. Imaginem o perigo: um grupo de caipiras broncos e tensos percorrendo as montanhas Apalaches armados até os dentes e prontos para disparar em qualquer direção em que ouvirem um galho quebrando. É evidente  que mais cedo ou mais tarde isso vai acabar em tragédia. Talvez, ciente isso, o Discovery tirou do ar. Mas daqui a pouco, volta. É batata.

Chegou Honey Boo Boo -  Após suspeita de ligação da mãe (June) com um abusador de menores, o programa saiu do ar em 2014, mas infelizmente acaba de voltar no TLC. Embora queira fazer graça, a atração na verdade é uma aula de como não se educar crianças e de como não se deve alimentá-las. É, enfim, um  programa nocivo para telespectadores de todas as idades.

E vocês, leitores, acham que o colunista esqueceu de citar alguma coisa muito ruim na TV por assinatura? "Geordie Shore", da MTV, por exemplo? O que mais?

Deixe sua sugestão logo abaixo, no sistema de comentários do UOL.

Leia também:

Nove programas da TV paga sobre eremitas, caçadores e sobreviventes

Programas sobre aeroportos viram nova "praga" da TV por assinatura

colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo