Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Canal AXN dispara no ibope pelo 6º ano e vira o queridinho das mulheres

Divulgação
Estrelas de "Criminal Minds", série dramática policial sobre uma unidade de polícia comportamental Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

17/02/2018 09h35

Mais um estereótipo que cai: nem programas de culinária e tampouco atrações de saúde e beleza.

Mulheres bem instruídas, integrantes das classes A, B e C e com mais de 25 anos preferem mesmo é assistir a seriados de investigação, de crimes complexos ou de histórias sobre criminosos patológicos.

Pelo menos é isso que os dados da Kantar Ibope Media --que a coluna teve acesso-- mostram nos últimos anos.

Nesse segmento, o canal AXN, cresceu em 2017 pelo sexto ano seguido, e sempre com crescimentos de dois dígitos.

No ano passado o acréscimo de audiência foi de 18% em relação a 2016.

Desde 2013 o AXN subiu quase 200% acima do crescimento médio da TV paga no Brasil.

No chamado “prime time”, ele já se tornou o canal mais visto pelas mulheres na TV paga.

Entre outros, o AXN exibe seriados como “Criminal Minds”, “NCIS”, “Hawaii 5.0” e “The Blacklist”.

Cada seriado desses chega a ter no total 8,5 milhões de telespectadores (que o assistem por pelo menos 1 minuto, mínimo que a Kantar Ibope consegue mensurar).

“É considerado um canal instigante e que desafia o telespectador”, diz Alberto Nicolli Jr., da Sony Networks.

Nas últimas medições da Kantar, o canal hoje está sempre no top ten dos mais vistos da TV paga (9º lugar).

Lembrando que nessa lista ainda há três canais infantis (Discovery Kids, Cartoon, Gloob), os eternos campeões de audiência da TV paga, e um infanto-juvenil (Nicklelodeon).

LEIA MAIS

Silvio antecipa Troféu Imprensa para tirar férias de 3 meses nos EUA

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops