PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Pela primeira vez, mulher assume canais pornôs da Playboy/Globosat

Cinthia Fajardo é a nova CEO dos "Playboy Brasil"-Globosat - Divulgação/Arte UOL
Cinthia Fajardo é a nova CEO dos "Playboy Brasil"-Globosat Imagem: Divulgação/Arte UOL
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/01/2020 06h21

Pela primeira vez em 26 anos será uma mulher que passa a cuidar do portfólio dos canais eróticos do grupo Playboy Brasil-Globosat.

Cinthia Fajardo, ex-gerente de Marketing do Grupo Playboy Brasil, assume o lugar de Maurício Palleta, que ficou 12 à frente do cargo e está se despedindo do Grupo Globo.

No total ele teve 24 anos de Grupo Globo. Além dos 12 anos no setor pornô, ficou 10 anos no grupo Telecine e 2 na própria Globosat. Foi Paletta o "pai" do Prêmio Sexy Hot, o Oscar do pornô brasileiro.

Paletta é a segunda perda da Globosat nos últimos 30 dias. O primeiro foi seu diretor-geral, Alberto Pecegueiro, que deixou os canais pagos da Globo, mas segue como consultor pelos próximos anos.

Cinthia já participou de vários eventos e "Oscar" do pornô pelo mundo e vem a ser mais um exemplo de empoderamento feminino nesse setor —um dos mais lucrativos da TV por assinatura..

Somando todos os canais eróticos a Globosat/Playboy (as empresas mantêm uma parceria 60% - 40% no faturamento) têm por volta de 400 mil assinantes fixos hoje.

Cerca de 2 milhões de filmes adultos são vendidos on demand por ano. Trata-se de um setores menos afetados pela crise na TV por assinatura.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Ricardo Feltrin