PUBLICIDADE
Topo

Sem caixa, TV Escola avisa que vai atrasar salários de abril

Logotipo da TV Escola - Reprodução
Logotipo da TV Escola Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

30/04/2020 10h26

Em crise financeira após o rompimento abrupto e unilateral do contrato ancestral que tinha com o Ministério da Educação, a direção da TV Escola enviou comunicado aos funcionários informando que os salários de abril vão atrasar.

O pagamento deveria cair nas contas agora no início de maio, mas agora não há uma data certa para a regularização.

A direção da emissora avisou em comunicado que está em processo de negociação para renovação do contrato do governo com a Cinemateca Brasileira (veja nota abaixo).

Além disso a TV Escola ainda aguarda o pagamento de uma dívida que o governo federal tem com ela, de cerca de R$ 9 milhões.

E também negocia a retomada de um contrato para voltar ao ar com apoio do governo. Dessa vez, não com o Ministério da Educação, mas com a Secretaria Especial de Cultura, que hoje é comandada pela atriz Regina Duarte.

A negociação está sendo prejudicada pela pandemia de coronavírus.

E do outro lado a secretária Regina vem enfrentando boicote e resistência de "bolsolavistas" que a consideram "comunista" ou "esquerdista".

A TV Escola é controlada pela Fundação Roquette Pinto, entidade sem fins lucrativos e cujos funcionários também terão atraso nos salários.

A TV e a fundação têm ao todo 85 funcionários.

Voluntariamente, tanto o presidente da TV Escola, Francisco Câmpera, como dois outros diretores, já estavam sem receber seus salários desde março.

No mês passado a emissora fez uma redução salarial emergencial devido à crise financeira.

Veja a íntegra da nota da TV Escola

"Estamos em processo de renovação de Contrato da Cinemateca Brasileira. Devido à Pandemia do Coronavírus, o trâmite burocrático está demorando mais do que o previsto, por isso teremos um atraso no pagamento dos salários no mês de abril.

Neste momento estamos dependendo apenas da finalização do processo legal. Esperamos assinar o contrato até semana que vem, o que nos possibilitará saldar todos os compromissos salariais e com os fornecedores ao longo de maio. Manteremos todos informados.

Espero a compreensão de todos. Atenciosamente. A Direção."

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

Ricardo Feltrin