PUBLICIDADE
Topo

Planos do SBT para 2021: "The Noite" mais cedo e Ratinho semanal

Ratinho, estrela do SBT  - Reprodução/SBT
Ratinho, estrela do SBT Imagem: Reprodução/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

03/08/2020 00h18

Como tudo que ocorre no SBT, o texto de hoje trata de um projeto em estudo na emissora.

Não há nenhuma garantia que vá ser implementado. E, mesmo que fosse ao ar, todo mundo sabe que Silvio Santos pode não gostar do resultado e mudar de ideia no dia seguinte.

De qualquer forma é relevante para quem cobre ou gosta de televisão.

O projeto em questão seria uma grande chacoalhada no horário nobre do SBT (entre 18h e 0h), mas, se ocorrer, será só no próximo ano.

A emissora de Silvio sempre liderou o ibope nessa faixa horária, boa parte disso graças às novelas infantis.

Porém, parece que essa fórmula está gasta. Para piorar houve a suspensão por tempo indeterminado nas gravações de novelas por causa da pandemia de coronavírus.

Além disso no ano passado a Record mudou o horário de seu principal telejornal e passou a brigar "mano a mano" pelo 2º lugar.

Em julho, por exemplo, o SBT perdeu na Grande São Paulo, principal mercado da publicidade. Deu 6,7 para a Record e 6,5 para o SBT. Parece pouco, mas são dois décimos duros de recuperar. No país, a diferença é mínima SBT 6,5 x 6,4 Record.

Cada ponto de ibope em São Paulo vale por cerca de 75 mil domicílios.

O horário nobre é o mais valioso (e caro) da TV brasileira e o SBT quer voltar a ter vantagem.

As ideias em questão

Uma das propostas em estudo —repito, ainda embrionária— seria antecipar o horário do "The Noite", com Danilo Gentili e talvez também ampliar a exibição de filmes nessa faixa.

Hoje o (ótimo) talk-show de Gentili vai ao ar apenas á 1 da madrugada, e ainda assim consegue ótima audiência.

A expectativa é que, sendo exibido mais cedo, o ibope aumente ainda mais.

Também faria parte do pacote de mudanças dar a Ratinho um novo programa semanal e encerrar sua atração diária.

Essa nova atração —bem mais longa— seria no fim de semana (não se sabe ainda se aos sábados ou domingos).

O mega empresário Ratinho, dono de TV e rádios, só vem fazendo programa ao vivo duas vezes por semana.

Nesses dois dias ele ainda grava cerca de quatro outros programas para os demais dias.

Um programa semanal —repetindo, mais longo— permitiria não só a renovação da grade noturna do SBT, mas também daria mais tempo a Ratinho para cuidar de seus negócios milionários. E não afetaria seus "merchans" ou a publicidade —ele é um dos maiores faturamentos do SBT.

Claro que tudo vai depender da evolução (ou involução) da pandemia de coronavírus e seus efeitos na estrutura do SBT e demais emissoras.

De qualquer forma, é uma possibilidade de mudança nas noites estagnadas da TV aberta (e, claro, do SBT).

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL