Topo

TV e Famosos

Com vilã assassina, Thaís Fersoza exorciza fama de mocinha em "Escrava Mãe"

Edu Moraes/Rede Record
Thaís Fersoza interpreta a vilã Maria Isabel em "Escrava Mãe" Imagem: Edu Moraes/Rede Record

Natália Guaratto

Do UOL, em São Paulo

07/06/2016 07h00

Com uma semana de exibição, a novela “Escrava Mãe” já tem em sua vilã, a aristocrata Maria Isabel (Thaís Fersoza), um de seus principais acertos. As maldades da personagem têm agradado ao público e desde a estreia da nova trama da Record, a expressão “Maria Isabel Terrível” já figurou algumas vezes nos Trending Topics do Twitter.

“Maria Isabel exige uma força de atuação que eu ainda não tinha feito e acho que as pessoas vão poder perceber isso ao longo da novela”, conta Thaís em entrevista ao UOL. “Foi muito interessante a composição dela porque eu vim de uma história de muitas mocinhas e as pessoas falam que eu tenho cara de menininha, cara de novinha, o que eu fico feliz, mas é muito bacana poder mostrar esse outro lado”, completa a atriz.

Antes de Maria Isabel, Thaís havia interpretado somente mais uma vilã. "Nunca tinha feito uma personagem tão intensa. A Rosália de 'Dona Xêpa' era ambiciosa, era mais uma questão de se dar bem, achar um homem rico. A Maria Isabel é uma vilã assassina, uma personagem que mata e maltrata", diz.

O outro lado a que Thaís se refere é o jeito calculista de Maria Isabel. Para chegar ao tom frio e debochado de Maria Isabel, Thaís conta que se inspirou na Marquesa Isabelle de Marteuil, interpretada por Glenn Close no filme “Ligações Perigosas”. "Longe de mim querer me comparar a ela, mas assisti a esse filme e trouxe algumas coisinhas: o olhar frio, o deboche, o sentimento de superioridade", explica a atriz.

Filha mais velha do Coronel Custódio (Antonio Petrin), ela tem atração por violência e gosta de observar os escravos sendo punidos. Rejeitada por Miguel (Pedro Carvalho), ela odeia a escrava Juliana (Gabriela Moreyra) e chega a aplicar castigos físicos na mucama com as próprias mãos.

Aplicar chibatadas nos colegas de elenco, aliás, foi o que Thaís achou mais difícil de fazer em “Escrava Mãe”. “O momento da cena é realmente muito complicado, a pessoa ali ajoelhada e você precisa sentir aquela ira, falar palavras duras. Tenho 20 anos de carreira e nunca tive esse de problema de me envolver com personagem, sair da gravação mal, quando acaba eu me liberto, deixo fluir”, explica Thaís.

Newsletters

Mauricio Stycer traz análises exclusivas sobre TV e Famosos.

Quero receber

Mais TV e Famosos