TV e Famosos

Luiza Brunet fala da acusação de violência: "Veio de um homem que eu amava"

Fernando Louza/CLAUDIA
Luiza Brunet estampa a edição de "Claudia" de setembro, que chega às bancas nesta sexta (2) Imagem: Fernando Louza/CLAUDIA

Do UOL, em São Paulo

02/09/2016 10h22

Luiza Brunet teve medo de denunciar o empresário Lírio Parisotto (62), a quem acusa na Justiça de agressão física. Ela disse, em entrevista à revista "Claudia", que chega às bancas nesta sexta (2), o que a motivou a levar o processo adiante e a falar publicamente sobre o caso.

"É duro criar coragem e pôr um ponto final", afirmou. "A gente tem que dar um basta à situação. Maridos e namorados matam 13 mulheres todos os dias. As pessoas não conhecem a Lei Maria da Penha. Vou dar palestras, participar de grupos, alertar as mulheres para que sejam corajosas e coerentes", declarou. 

Ela lamentou os comentários que leu na web, acusando-a de ser oportunista. "Nas redes sociais, disseram que armei tudo para conseguir dinheiro fácil, que quebrei as costelas, deu um soco no meu olho. Coisas nojentas", criticou. 

A atriz, que está no ar em "Velho Chico", procurou preparar os filhos antes que a polêmica fosse divulgada na imprensa. Segundo ela, a relação do empresário com eles era boa.

"Meus filhos gostavam dele; viajávamos todos juntos algumas vezes. Expliquei que decidira partir para a denúncia. Yasmin ficou um pouco insegura; Antonio, decepcionado. Depois, transtornado. Ele se perturbou com a ideia de a mãe ter sido agredida por um homem – fosse ele quem fosse. Contei porque meus filhos tinham o direito de saber e para prepará-los. Não queria que fossem surpreendidos pela mídia. Eles se acalmaram e logo me apoiaram. Não tocaram mais no assunto, embora se preocupem e sempre perguntem se já estou melhor", relatou.

De todas as dificuldades que já enfrentou, ela acredita que a violência que afirma ter sofrido foi a pior delas: "Apanhar como apanhei, aos 54 anos, foi o pior. Sustentei cinco irmãos, mãe e um pai alcoólatra por amor. O velho que abusou de mim aos 14 era um estranho. A briga com Saad, negócio: eu tinha 19 anos, era top na carreira e não queria mais ser explorada. Hoje Saad me respeita. A separação do pai de meus filhos doeu muito, porém foi a alternativa ao desgaste. Mas agora, quando queria paz e sossego, me ocorreu o mais triste. E veio de um homem que eu amava". 

O caso
A revelação da violência foi feita pela ex-modelo à coluna de Ancelmo Gois no jornal "O Globo". Ela acusa o empresário de espancá-la na madrugada do dia 21 de maio, durante uma viagem do casal à Nova York.

Reprodução/TV Globo
Luiza Brunet mostra ferimento no rosto; segundo ela, responsável pela agressão é o empresário Lírio Parisotto Imagem: Reprodução/TV Globo
Segundo o relato de Luiza, o então companheiro começou a se exaltar durante um jantar com amigos, quando o casal foi questionado se iria a uma exposição. Parisotto disse que não iria porque, da última vez, foi confundido com o ex-marido da modelo.
 
Ao voltarem para o apartamento onde estavam hospedados na cidade americana, Parisotto discutiu com a atriz e a atingiu com um soco no olho e chutes. Em seguida, ela diz ter sido derrubada no sofá e imobilizada violentamente, o que provocou a quebra de quatro costelas da atriz. Luiza conseguiu escapar depois de ameaçar gritar pelo concierge. No dia seguinte, ela voltou ao Brasil, onde iniciou tratamento médico para as lesões.
 
Com os laudos médicos e fotos que comprovavam a agressão, a atriz entrou com representação contra Parisotto no dia 23 de junho. "Foi um depoimento muito seguro, mas ela se mostrou abalada. Nos solidarizamos com o sentimento dela, entendemos que a agressão era grave e ensejava a aplicação de medidas protetivas porque nos relatou bastante medo", diz Carlos Bruno Gaya da Costa, promotor do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) responsável pelo caso.
 
Lírio Parisotto depôs no Fórum Criminal de São Paulo sobre as acusações de tê-la agredido fisicamente no dia 21 de maio, em Nova York. Segundo a defesa do empresário, ele alegou que reagiu a um ataque da ex-modelo.
 
"Quando uma pessoa vai agredir e morder, a outra pessoa contém. Isso ele assume que fez", afirmou o advogado Celso Vilardi em conversa com jornalistas no Fórum Criminal de São Paulo. Ao ser perguntado se o olho roxo exibido por Brunet em foto não contrariava a versão da defesa, ele negou: "É uma questão médica, pode ser de contenção. Ele tem provas de mordidas, de tapas".
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais TV e Famosos

Topo