Topo

TV e Famosos

Travestis e trans criticam Gloria Perez: "Novela complica fim do estigma"

Montagem/Divulgação/TV Globo
Ivana (Carol Duarte) e Elis Miranda (Silvero Pereira), de "A Força do Querer" Imagem: Montagem/Divulgação/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

07/08/2017 17h31

Afinal, Ivana é transgênero, travesti, gay ou nenhuma das alternativas? A definição da personagem de "A Força do Querer" tem deixado muitas dúvidas em sua prima, Simone (Juliana Paiva), e na própria mãe, Joyce (Maria Fernanda Cândido), que ainda não sabe que a filha é um homem trans. Ativistas transexuais, porém, apontaram erros de Gloria Perez sobre a explicação de orientação sexual e identidade de gênero na novela.

A Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) divulgou em sua página no Facebook uma nota pública para Gloria Perez corrigindo as definições sexuais e de gênero que a trama da Globo errou. Nos capítulos, Elis Miranda, travesti interpretada por Silvero Pereira, chegou a dizer que travestis são "gays" e "transformistas" e que transgêneros não fazem mudanças corporais.

"A novela [...] tem prestado um relevante serviço quando aborda a questão da transmasculinidade vivida pela personagem Ivan/Ivana, e tem prestado grande serviço de informação acerca da temática. Porém, tem deixado a desejar quando a identificam como transgênero. No nosso entendimento, a personagem é um homem trans, inspirada na obra "Homem Trans", do escritor João W. Nery", diz o texto da Antra.

João W. Nery, homem trans citado pela associação e uma das inspirações de Gloria Perez para criar Ivana, criticou os erros de "A Força do Querer" sobre o assunto. "Agora me preocupei com a assessoria da novela da Gloria Perez. Desde quando travesti não é transgênero? Alguma coisa está errada aí", escreveu em seu perfil no Facebook.

A Antra também corrigiu Gloria Perez sobre a abordagem de travestis na novela: "Quando se refere a travestis, a novela se perde numa profusão de diálogos e conceitos que não ajudam em nada essa população e acaba complicando ainda mais o trabalho que temos desenvolvido ao longo de anos, que é o de tirar o estigma que esse termo representa. O conceito tão mal empregado no Aurélio e que nos elimina enquanto identidades políticas, do campo das feminilidades".

No texto, a associação explica os diferentes termos para definir gays, travestis, transexuais e transgêneros e afirma querer ajudar Gloria Perez a corrigir os erros em "A Força do Querer".

"Queremos contribuir para que a novela de fato possa ser um canal de entretenimento e também educativo diante dessa complexidade que são as identidades de pessoas trans, população tão vulnerável devido à exclusão provocada pela transfobia [...] Nos colocamos à disposição para dialogar mais e aproveitar sobremaneira a oportunidade trazida pela autora, mas vimos através da nota expor não um incômodo pessoal, mas de inúmeras travestis por esta entidade nacional representadas Brasil afora."

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais TV e Famosos