Topo

Famosos

Leo Dias explica ausência no "Fofocalizando": "Radioterapia do meu pai"

Reprodução/SBT
Leo Dias criticou seu próprio programa, "Fofocalizando", por dar voz a MC Diguinho, da música "Só Surubinha de Leve" Imagem: Reprodução/SBT

Do UOL, em São Paulo

24/01/2018 09h47

Leo Dias "reapareceu" nas redes sociais após não apresentar o programa "Fofocalizando" na terça-feira (23). Nesta quarta, o jornalista explicou que pediu ao diretor da atração para se ausentar a fim de acompanhar o tratamento do pai, que está com câncer.

"Ontem eu decidi acompanhar a primeira sessão de radioterapia as quais meu pai terá que se submeter a partir de agora. Esquilo entendeu meu pedido. Ontem fiquei OFF! Desculpe não ter explicado nas minhas redes. Por isso eu digo e repito: rede social não é vida real!", disse ele, que aproveitou para postar o laudo médico do pai. 

De acordo com Dias, o diretor do "Fofocalizando" estava ciente de sua ausência e o autorizou a faltar no programa. 
 
"A minha ausência nada teve a ver com o meu 'ataque' de segunda. Acima está o laudo comprovando o câncer do meu pai. É isso. Juro que nao me considero uma figura pública. Sou um mero jornalista", declarou ele. 
 

Na segunda, Leo Dias criticou no ar, ao vivo, a decisão do diretor do programa de exibir a entrevista com o funkeiro.

"Acho um absurdo a gente exibir este tipo de matéria aqui", reclamou. "Acho um absurdo a gente dar voz a este tipo de pessoa. Acho um absurdo a gente dar voz e citar este tipo de música. Sou contra qualquer tipo de censura, mas músicas que fazem apologia ao estupro têm que ser censuradas. Músicas que fazem apologia a racismo, homofobia, a todo tipo de crime, têm que ser censuradas, sim", completou.

Procurado pelo blogueiro Mauricio Stycer, do UOL, o diretor do "Fofocalizando", Marcio Esquilo, defendeu a exibição da reportagem e, igualmente, apoiou o protesto de Leo Dias. "Era importante a matéria para mostrar o lado do músico, a cabeça dele, dar voz a ele", disse o diretor. "E gostei da crítica do Leo. Mostra como o programa é isento".

Esquilo disse que não reprime a opinião de nenhum dos participantes do "Fofocalizando", mas entende que tem o dever, jornalístico, de mostrar a posição de personagens polêmicos do noticiário de celebridades: "Não vou exibir o vídeo de um estuprador [...] Mas vamos ouvir sempre o famoso acusado de agredir a mulher. Foi o que fizemos quando o Naldo agrediu a mulher dele".

 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!