Topo

Famosos

Final feliz: Whindersson Nunes irá doar novo triciclo adaptado a jovem

Imagem/Arquivo pessoal
Caso de doação de Whindersson a cadeirante vai parar na Justiça Imagem: Imagem/Arquivo pessoal

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

08/05/2018 16h01

A história revelada pelo UOL na última sexta (4), sobre o jovem que ganhou um triciclo adaptado de Whindersson Nunes, pagou por ele, mas a empresa não o entregou, caminha para um final feliz. O youtuber decidiu doar um novo veículo a André Nunes Nachtigall, de 24 anos, diagnosticado com paralisia cerebral ainda na infância, segundo apurou a reportagem do UOL.

Desta vez, os cuidados vão ser redobrados e a ideia é comprar um triciclo já pronto. Ainda não há expectativa, porém, de quando o veículo será entregue. 

A família do estudante, que ganhou a doação de Windersson após pedir ajuda numa campanha de arrecadação via Facebook, também decidiu que irá manter o processo contra a empresa que não entregou o triciclo anterior. Caso receba o veículo, a família pretende doá-lo.

Procurada pela reportagem, a assessoria de Whindersson optou por não se manifestar sobre o assunto. "Não vamos nos pronunciar por enquanto até serem definidos os próximos passos em relação ao caso. Estamos empenhados em resolver tudo o quanto antes."

Entenda o caso

Estudante de engenharia da computação, André pediu "uma força" ao youtuber, com quase 29 milhões de seguidores, para divulgar a campanha que havia criado para comprar um triciclo adaptado, em fevereiro do ano passado. O veículo o ajudaria a ir sozinho para a faculdade em Pelotas (RS).

Whindersson, então, surpreendeu na resposta. "Onde é que tem esse troço moço? 'Nois' compra agora!"

O youtuber cumpriu a promessa, deu todo o valor correspondente ao triciclo, e a Honda, ao tomar conhecimento do caso, doou o valor relacionado à moto --o triciclo é feito em cima de uma moto. Ao todo, foram doados cerca de R$ 25 mil.

O dinheiro, no entanto, foi depositado diretamente na conta do proprietário de uma empresa responsável por fazer o veículo adaptado, que até hoje não fez a entrega. 

"Whindersson e a Honda pagaram a ele tudo direitinho e ele sumiu, não imaginava que ele fosse assim", lamentou o jovem de 24 anos, em conversa com o UOL, quase um ano depois.

O caso foi levado à Justiça por Nachtigall, que está recebendo assessoria jurídica de duas estudantes e um professor de direito da universidade onde estuda. Duas audiências já foram realizadas, sem acordo.

Segundo o estudante, o empresário que faria o veículo adaptado mora em Ananindeua, no Pará, e foi o escolhido por ele já que é considerado o único no país que faz a documentação para triciclo.

Sem dinheiro e o veículo, ele conta que continua dependendo da mãe para levá-lo à faculdade em um cadeira de rodas. "Só que ela é cheia de coisas pra fazer também", ressalta.

Reprodução/Facebook
André Nunes Nachtigall pediu ajuda a Whindersson em comentário publicado no Facebook Imagem: Reprodução/Facebook

"Não sou bandido"

Ao UOL, por telefone, o proprietário da empresa, que se identificou apenas como Márcio, reconheceu o atraso na entrega do veículo, mas disse que não é "bandido".

"Não somos bandidos, mas se deu a entender que temos a intenção de pegar o dinheiro e não entregar isso é uma inverdade. Simplesmente, não tenho condições de devolver", disse o empresário, que culpou a crise financeira por não ter entregado o veículo.

"Estamos atravessando por uma dificuldade, como qualquer microempresa, que foi afetada pelo maldito governo, desde o PT. Estamos imobilizados por falta de capital", argumenta.

Segundo Márcio, parte do triciclo já foi feita, como chassi e a fibra, por exemplo, mas ele afirma não poder fixar um prazo para a entrega. "Se eu falar que vou entregar no mês que vem seria uma mentira porque não tenho capacidade, passo por dificuldades".

Questionado pela reportagem sobre a ação movida pelo estudante, o empresário disse não ter sido ainda notificado.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!