PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Datena diz que foi "esquecido" pela Record: "Quero que se exploda"

Marcelo Ferraz/UOL
Imagem: Marcelo Ferraz/UOL

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

28/08/2018 10h55

José Luiz Datena reprovou a decisão da Record em não convidá-lo a participar das comemorações de 65 anos do canal. Nesta terça-feira (28), ele disse ao UOL que está pouco se lixando e fez duras críticas à emissora.

Para o apresentador do "Brasil Urgente", contra fatos não há argumentos: ele alega que os números provam a sua importância para a antiga emissora, da qual ele pediu demissão após dois meses em uma passagem ruidosa com direito a quebra de contrato em 2011.

"No [episódio do sequestro] ônibus 174 eu dei 28 pontos, fiquei em primeiro lugar. Eu ia assinar com a Globo porque estava incomodando na faixa das 18h, mas o bispo não me deixou porque achou que era conveniente eu ficar. Eu dava muita audiência para a Record", disse. "Parece que a Record se esqueceu disso. Não dá para passar por cima da história", afirma ele, que fez suas críticas ao vivo em seu programa policial na Band na segunda-feira.

Na opinião de Datena, está claro o motivo para a "falta de memória" dos executivos da emissora: a sua saída tumultuada de sete anos atrás do "Cidade Alerta": "Como me encheram o saco, eu larguei a Record na mão. Empresa nenhuma admite que você saia. Eu descumpri o contrato e paguei US$ 10 milhões".

"Estou cagando, andando e sentando para o Douglas Tavolaro [vice-presidente de jornalismo do canal] e para a direção. Quero que a Record se exploda, que morra!", disparou.

Datena disse, ainda, que teria aceitado de bom grado participar das comemorações da emissora se tivesse sido chamado.

"Eu respeito e gosto muito do Edir Macedo e não cuspo no prato que eu comi", afirmou ele. 

A Record comemora 65 anos em setembro, mês em que o "Programa do Porchat" receberá convidados especiais, inclusive de outras emissoras, para festejar a data.

Televisão