PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Companheiro de Porchat na Record já tem planos para continuar no ar em 2019

Paulo Vieira faz comentários no "Programa do Porchat" - Reprodução/Instagram
Paulo Vieira faz comentários no "Programa do Porchat" Imagem: Reprodução/Instagram

Carolina Farias

Do UOL, no Rio

10/11/2018 04h00

Comentarista do "Programa do Porchat" desde o início da atração, o humorista Paulo Vieira, 26, já corre por fora para ter um projeto seu na TV. Após o anúncio do fim do talk show na Record, o próprio Fábio Porchat afirmou não saber seu destino em 2019, mas seu companheiro de atração já sabe que ano que vem estará na telinha. 

"Que vou estar na TV no ano que vem é fato. Não posso falar [onde] ainda. Teoricamente o contrato ainda é com a Record. Tenho algumas propostas. A parte boa de ser demitido é saber como o mercado te vê. Quando falaram que ia acabar o programa meu telefone começou a tocar. Pensei, 'caramba, as pessoas estavam me vendo?, a Record não estava", contou Paulo Vieira.

O humorista revelou que ofereceu um projeto para a própria emissora, que negou a proposta.

Segundo Vieira, a decisão de Porchat de deixar a emissora foi artística e pessoal, e não por divergências com a emissora.

"A gente é bem feliz no programa. A Record dá bastante liberdade. A TV é feita de coisas que podem e que não podem como em qualquer ambiente de trabalho. Me sinto livre, olhas as coisas que falamos no programa. Mas [a saída] é questão artística interna dele, de olhar para interior e falar: 'Acho que não quero'", afirmou o comentarista, que passou a admirar ainda mais o amigo por tomar a decisão.

"Um cara que se dispõe a fechar um ciclo na TV aberta por pura questão artística é um cara grande. Qualquer outra pessoa, a maioria das que conheço, jamais cogitaria deixar um programa com seu nome na TV aberta e ainda ganhando o que ganha. Fato de ele dizer a princípio que não ia renovar, porque não estava certo disso, só mostra grandeza artística dele", elogiou.

Vieira acredita que não deve seguir Porchat caso ele ganhe um programa em outra emissora, mas garante que continuarão a ser parceiros. O comentarista inclusive foi padrinho de casamento do comediante do Porta dos Fundos.

"Vamos continuar a fazer coisas junto. Temos projetos no Porta e fizemos um filme que ainda vai sair. Somos amigos, nos admiramos, gostamos do trabalho um do outro."

Nos dois anos de programa, Vieira não teve medo de ser considerado "escada" de Porchat.

"Trabalho dado é trabalho feito. Se minha função se desenvolvesse como escada, faria até achar que estava bom para mim. Sempre soube da generosidade dele, ele até pediu mais espaço para mim. O 'Emergente como a Gente' começou com três minutos e hoje tem de sete a nove minutos. Sou orgulhoso de minha trajetória. Deixei de ser o ?quem é esse cara?'", brincou.

Paulo Vieira no quadro "Emergente como a Gente" - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram
O quadro mencionado por Vieira é uma encenação de situações que "pobres passam", uma sátira da família brasileira. É o mais querido do programa e faz sucesso entre o público. No YouTube, as esquetes têm em média 100 mil visualizações. Foi esse o formato de atração que Vieira apresentou para a Record.

"É um quadro que é legal porque não precisa de ninguém, não tem convidados, funciona sozinho. A Record não acha que tenho um perfil de ter um programa, uma pena que não souberam ver meu potencial, mas é vida que segue", afirmou o humorista.

O "Emergente como a Gente" foi a base para o show de stand-up de Viera, o "Juntei Tudo para te Contar", primeiro solo dele que está em cartaz, no Rio de Janeiro, até o fim de novembro e volta ao cartaz em fevereiro, em São Paulo.

"Fala de família, da vida no interior, da minha trajetória, de pobre e daquilo que é comum a tanta gente. É um espetáculo que estou feliz. Não é comédia em que os filhos ficam constrangidos em assistir com os pais. Muitas famílias vão", explicou.

Além de se dedicar ao novo projeto na TV e ao espetáculo, Vieira também vai trabalhar na divulgação de seu EP "Circo das Pulgas", composto por músicas para crianças. 

"A coisa que mais gosto de fazer na vida é música. Meu plano sempre foi ganhar dinheiro com a comédia para poder investir na música. Os dois trabalham se completam."

Famosos