Topo

Televisão


"Queria ser chacrete, sempre tive esse sonho", diz Valéria Valenssa

Valéria Valenssa é uma das participantes do "Dancing Brasil 4" - Arquivo Pessoal
Valéria Valenssa é uma das participantes do "Dancing Brasil 4" Imagem: Arquivo Pessoal

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

22/11/2018 08h37

Valéria Valenssa falou de sua trajetória no "Programa do Porchat" de quarta-feira (21). Recém-eliminada do "Dancing Brasil", a ex-Globeleza disse que sonhava com a fama desde cedo.

"Com 8 anos queria ser Chacrete. Eu gostava mesmo da Rita Cadillac, ela era muito bonita, sensual. Tinham também as mulatas do Sargentelli. Tive sempre esse sonho dentro de mim", assume.

Ela falou do marido, Hans Donner. "Eu era bem pequena, fui acompanhando o trabalho dele, Participava de um concurso de beleza que ele fazia parte do júri. O namoro foi três anos depois. Fui fazer um teste na Globo, passei para fazer a vinheta de 1990. Eles já estavam há um tempo procurando a mulata do carnaval".

O sucesso veio depois. "A vinheta não tinha muito destaque, passava na semana do Carnaval. Em 1992 escolheram outra menina, eu retorno em 93, quando surgiu o nome Globeleza e a música".

Valéria relembrou mais uma vez a depressão quando deixou o cargo. "Fui pega de surpresa, eles me chamaram em novembro para uma reunião, eu tinha me programado fazer mais um ou dois anos. Sabia que não era para a vida inteira, mas não estava preparada, foi um baque muito grande pois vivi a personagem".

Ela encontrou seu caminho na religião. "Deus me salvou da depressão. Comecei a ler a Bíblia. Tinha muita raiva, mágoa no meu coração". E acredita que aproveitou bem a época. "Eu tive muita sorte, hoje não poderia fazer o que fiz. Já nasci empoderada", comemora.

Televisão