Topo

O Sétimo Guardião

Aluno que processa Aguinaldo Silva diz que quer "pôr novela nos eixos"

Imagem/Arquivo pessoal
Silvio Cerceau posa ao lado de Aguinaldo Silva Imagem: Imagem/Arquivo pessoal

Gilvan Marques

Do UOL, em São Paulo

06/12/2018 16h51

O escritor Silvio Cerceau ironizou "O Sétimo Guardião" através de um post publicado nas redes sociais, nesta quarta-feira (5), e disse estar à disposição para "pôr a novela nos eixos". Atualmente, ele move ação na Justiça contra o autor Aguinaldo Silva.

"Alguns roteiristas da Master 3 estão disponíveis para pôr novela nos eixos. Do jeito que está não pode ficar", ironizou ele, nas redes sociais.

Ao UOL, Cerceau reafirmou as críticas. "O Aguinaldo Silva perdeu o tom da sinopse. Acho que são os colaboradores que estão escrevendo a novela", dpalpita. 

"Não tinha que ser revelado, agora, que o tesouro era fonte curativa e da juventude. Não tinha que ser revelado agora quem eram os guardiões, que o Gabriel (Bruno Gagliasso) era o guardião. Então tem uma série de coisas que eles não contaram como era a proposta da sinopse. E, com isso, a novela perdeu todos os segredos. Não há mais segredo na história", critica.

Após quase um mês no ar, "O Sétimo Guardião" tem a audiência mais baixa para uma novela das nove desde 2016, segundo dados do site Notícias da TV, parceiro do UOL. Com 21 capítulos já exibidos, a trama registra média de 29,1 pontos na Grande São Paulo, pior resultado da faixa desde A Lei do Amor (2016).

Silvio Cerceau enviou recentemente à Justiça uma petição pedindo a inclusão da TV Globo no processo em que solicita o reconhecimento como coautor de "O Sétimo Guardião". Ex-aluno de Aguinaldo Silva, ele alega que a trama das 21h foi elaborada durante um curso ministrado pelo novelista em 2015 e pede agora a inclusão da Globo, também como ré, na ação que move contra o autor.  

Em novembro, outros seis alunos já haviam entrado na Justiça buscando o reconhecimento autoral e a remuneração pela sinopse da trama. Ariela Massotti, Danilo Castro, Ryllberth Ribeiro, Valtair Barbosa, Washington Duque e Weber Lasaro. A ação é movida contra Aguinaldo Silva e TV Globo.

Imagem/Arquivo pessoal
Aguinaldo Silva ministra curso para alunos da "Master Class", em 2015; Cerceau (à direita) processou autor Imagem: Imagem/Arquivo pessoal

"Não sou eu quem decido"

Durante a coletiva de lançamento da novela, tanto a Globo quanto Aguinaldo se esquivaram de perguntas feitas por jornalistas relacionadas ao imbróglio jurídico.

Ao UOL, Aguinaldo Silva chegou a declarar que não sabia mais quais os créditos apareceriam na abertura da próxima novela das nove. "A novela não é minha, é da Rede Globo. Quem decide o que vai ou não sair nos créditos é a Globo e eu acatarei o que a emissora decidir. Não sou eu quem decido", disse.