PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Mayra Cardi explica parcerias e lamenta repercussão de vídeo com a filha

Mayra Cardi e a filha, Sophia - Reprodução/Instagram/mayracardi
Mayra Cardi e a filha, Sophia Imagem: Reprodução/Instagram/mayracardi

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

16/12/2018 04h00

Afastada do Instagram após sofrer críticas por vídeos com a filha, Sophia, Mayra Cardi se pronunciou pela primeira vez sobre dois casos envolvendo marcas e supostas parcerias. Em entrevista ao UOL, a life coach culpou uma amiga pela negociação com a empresária Carima Orra e explicou a publicação em que escondeu o rosto de sua bebê.

Mayra Cardi esteve envolvida em duas polêmicas nesta semana. A life coach e ex-BBB tem sido criticada pela forma como expõe a filha, que completará dois meses na próxima quinta-feira (20). No vídeo mais recente, ela cobriu o rosto da menina com uma toalha e citou a marca, que desabafou dizendo estar "prejudicada por difamações".

No dia seguinte, a empresária Carima Orra reclamou ao UOL que havia acordado três publicações no Instagram de Mayra e de Sophia com uma suposta representante da influenciadora e ainda deu R$ 1 mil como parte da negociação.

A mulher de Arthur Aguiar diz se sentir "decepcionada" com a amiga que negociou parcerias em nome dela e avisa que seus advogados tomarão as medidas necessárias contra os envolvidos pelo caso. Ela também lamenta a repercussão negativa do vídeo com Sophia e nega que a menina tenha ficado sem ar ao ter a cabeça coberta pela toalha. Por fim, Mayra critica que a internet está muito agressiva e não dá prazo para voltar ao Instagram.

UOL: Foram negociados alguns trabalhos por uma pessoa que dizia ser sua manager, na qual ela recebia e falava em seu nome. Como isso aconteceu? Você tomará providências?

Mayra Cardi: Estou extremamente decepcionada com o que aconteceu. O que houve foi que eu preparei um chá de bebê surpresa para minha manicure, que estava grávida e é uma pessoa muito batalhadora de quem gosto muito. Como ela foi pega de surpresa, pois não planejou a gravidez e eu sei o quanto é difícil e caro ter um bebê, resolvi fazer um enxoval completo para ela e dar o máximo de coisas que eu pudesse.

Foi aí que essa pessoa, que até então era minha amiga e que já havia trabalhado para mim no passado, me ajudou a fazer essa surpresa para minha manicure. Para que ela pudesse me ajudar, eu divulguei o Instagram dela no meu, dizendo que as pessoas que quisessem mandar presentes para a filha da minha manicure e para a Sophia poderiam procurá-la. Os fãs do Arthur e pessoas que me seguem começaram a enviar coisas, como as lojas. Enfim, a partir daí, ela acabou recebendo essas coisas das pessoas e lojas e depois me entregava. Na época, que fiz o chá de bebê, fiquei muito feliz que as lojas foram solicitas e eu fiz um post em agradecimento as mesmas que me ajudaram a realizar esse gesto de fazer esse chá de bebê para Karla. Postei por gratidão e pela boa vontade das lojas e não por trabalho. Um post no meu feed custa 15 mil reais e mesmo assim eu jamais posto algo que eu não teste antes e que eu realmente use e acredite. O que essas lojas fizeram dinheiro nenhum no mundo compra, que é dar amor e esperança a uma família. Então, eu postei de coração, agradecendo a ação e a parceria!

Detalhes das roupas cedidas para Mayra Cardi divulgar em sua rede social - Montagem/UOL - Montagem/UOL
Detalhes das roupas cedidas para Mayra Cardi divulgar em sua rede social
Imagem: Montagem/UOL

Infelizmente, após a dona de uma loja declarar publicamente o que vocês já sabem, fui atrás do que estava acontecendo e ela me enviou as trocas de mensagens e e-mails que ela tinha com essa pessoa que até então eu achava que era minha amiga. Só ai que eu fui entender que essa "amiga" estava recebendo dinheiro em meu nome e passando sua conta pessoal para depósito. Óbvio que essas empresas foram muito negligentes, pois não havia nenhum contrato comigo e nenhuma garantia que eu estava sabendo daquela negociação. Tanto que a conta que era passada para as empresas era a conta pessoal dessa pessoa que estava fazendo essas negociações sem a minha autorização.

Se realmente fosse um trabalho, deveria existir um contrato, onde nele constaria a minha conta ou da minha empresa, ou se fosse de uma terceira pessoa, isso tinha que estar especificado em um contrato, assinado por mim. Onde garantiria que eu sabia que aquilo estava acontecendo e que existia um acordo entre as partes.

Enfim, essa pessoa negociou algo que eu jamais entregaria, pois eu nunca soube que estava sendo vendida. Ao não entregar o combinado entre a "amiga" e a empresária, a dona da loja foi buscar uma maneira de jogar essa notícia na mídia, uma vez que ela estava indignada que eu não entreguei o que foi acordado entre elas.

O que até agora eu não consegui entender é o porquê dessa pessoa não ter entrado em contato comigo e ter ido direto procurar a mídia, sendo que seria muito mais fácil e correto ela me procurar do que um veículo de comunicação que é muito maior do que eu e que seria mais difícil ainda ela conseguir uma comunicação.

Enfim, todas as providências judiciais já estão sendo tomadas para os responsáveis envolvidos no caso.

Mayra Cardi e Sophia - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Mayra Cardi e Sophia
Imagem: Reprodução/Instagram
UOL: Como é feita a negociação de parcerias? É feita por e-mail ou por contrato? Você fica sabendo de tudo?

Mayra Cardi: Eu só "vendo" publicidade quando acredito na marca. Já recusei contratos enormes de marcas de alimentos com valores acima de 200 mil reais, das quais eu não acredito e me neguei a falar bem, uma vez que não usaria. Obviamente que também não divulgo absolutamente nada contra a marca uma vez que se eu não gosto, só não falo e não me associo a marca. Eu só faço post do que eu realmente acredito. Por isso, as pessoas compram as coisas que eu indico e o resultado para as marcas são sempre muito positivo. Antes de eu fechar alguma coisa eu sempre peço para que os produtos sejam enviados para minha casa, sem compromisso nenhum de postagem, para que eu possa usar e somente se eu gostar, aprovar a qualidade e segurança eu faça o post, com contrato assinado, deixando claro tudo o que será entregue e os valores que serão pagos por essa entrega.

A única pessoa que pode negociar qualquer coisa no meu nome é o meu manager, Valmir da Rocha. E a única agência que pode fazer o mesmo é a Tittanium. Não faço permutas. Faço apenas em raras exceções de coisas que eu iria comprar de qualquer forma e o montante sai mais caro que 15 mil reais.

Quando acontece esse tipo de parceira, permuta, a marca me entrega os produtos em troca da minha opinião sobre os mesmos através de um post, nesse caso, não tem dinheiro físico envolvido porque é uma troca entre a minha opinião e imagem pelos produtos da marca dentro do valor da minha publicação.

UOL: Vocês processarão Carima Orra pela exposição do caso? Ou reconhecem que ela, como vocês, foi vítima de uma negociação irregular?

Mayra Cardi: Eu sou empresária e como empresária respondo pelos meus atos de irresponsabilidade se forem cometidos. Uma empresária sabe que não se faz trabalho algum sem contrato assinado e sem emissão de nota fiscal. Não estamos falando de uma briga escolar de crianças, estamos falando de empresas. Meus advogados já estão com o caso nas mãos e tomarão todas as medidas necessárias contra todos os envolvidos a essa lesão. Até porque estamos falando de calúnia, danos morais, entre outras coisas.

UOL: Você tem sido criticada pela forma como esconde o rosto de Sophia. Uma marca se posicionou dizendo que se sentiu prejudicada e que sofreu ataques com o seu post cobrindo o rosto de Sophia e marcando o perfil da empresa. Isso te prejudica nas outras negociações?

Mayra Cardi: De modo algum! Todos nós estamos sujeitos a críticas. Hoje, infelizmente, a internet está muito agressiva e as pessoas se atacam a todo momento. Acho muito triste isso tudo. As pessoas estão procurando erros nas outras para poderem apontar e julgar o próximo. É uma grande pena.

Mayra Cardi esconde rosto de Sophia - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Mayra Cardi esconde rosto de Sophia
Imagem: Reprodução/Instagram
Quanto à marca que você se refere nessa pergunta, assim como essa outra que envolve essa matéria, nós não temos acordo de trabalho, contrato assinado e entrega alguma. Acredito que esse acordo foi feito de forma errada pela mesma pessoa que está me lesando. Não foi um publipost, pois não existe nenhum acordo e nenhum contrato. É uma marca super pequena que enviou várias roupinhas lindas para Sophia e eu fiz um Stories verdadeiro, dizendo que a Sophia amava aquela toalha de capuz, porque de fato ela é super macia. Inclusive, eu até cheguei a pedir mais da mesma. Esse ataque a marca foi totalmente sem sentido. É uma marca pequena que parece estar começando agora, portanto, não teria dinheiro para pagar o que custa um post meu. Fiquei bem triste quando soube que estava sendo atacada injustamente, simplesmente porque estava usando uma toalha de capuz de elefantinho na Sophia. A única coisa que aconteceu é que ela é pequena e o capuz é enorme e não fica na cabecinha dela, ele cai no rosto. Obviamente que ele não tampa o rosto dela inteiro, a parte de baixo, o queixo e o pescoço ficam totalmente livres, entrando bastante ar. Eu simplesmente filmei esse momento por 8 segundos, falando da toalha e marquei a marca exatamente por terem enviado muitas coisas fofas para a Sophia. Fiquei muito triste por atacarem a marca da toalha que nada tem a ver com a minha vida. Já não basta me atacarem sem analisar de verdade os fatos e ainda vão atacar a loja?

Lógico que a dona da marca por não ter experiência nenhuma de mercado ficou apavorada. Grandes lojas como as que me procuram para anunciar não se abalam com comentários de haters, quando acontecem esses movimentos "ruins" na internet. Porque, como já mencionei anteriormente, só anuncio o que acredito e se eu anunciei as pessoas vão atrás e vão comprar. Até marcas que já são grandes e conhecidas tem um retorno grande em compras e um aumento de pelo menos 10 mil seguidores com um post meu, como foi o caso de uma companhia aérea que eu já fiz alguns trabalhos.

UOL: Quanto tempo você ficará afastada do Instagram? De que forma isso atrapalha um dos seus principais trabalhos, justamente divulgando marcas no Instagram?

Mayra Cardi: Esse dinheiro do Instagram não faz a menor diferença na minha vida. Não é por dinheiro que eu estou lá, é por amor. Por isso, eu decidi me afastar. Uma pessoa que tem o Instagram como ganha-pão jamais se afastaria. O meu principal trabalho é a minha empresa de emagrecimento, que gira sozinha e tem seu próprio Instagram. O Seca Você Renove tem uma equipe multidisciplinar que é um sucesso e não depende em nada de mim nas redes sociais. Hoje, sou uma empresária muito bem-sucedida. Fora o programa de emagrecimento, tenho vários outros negócios. O Instagram é apenas um lugar onde ajudo as pessoas que não podem pagar pelo programa, sempre passando dinâmicas para ensinar as pessoas a ficarem no positivo, a serem mais felizes com elas mesmas, não procrastinarem, ensino receitas culinárias saudáveis, dentre várias outras coisas. Eu estudo muito de que maneira posso levar conteúdo gratuito e alegria para essas pessoas. E eu sei que essas pessoas ficam muito tristes com meu afastamento. Recebo e-mails pedindo para que eu volte e também muitas mensagens no Instagram dos coachings do programa, da minha irmã Marcela, de mulheres que ficaram muito tristes que me acompanham, seguem minhas dicas e se inspiram na minha alegria para serem leves no dia a dia. Eu sou muito verdadeira, posto tudo que vivo. Não faço cena e nem finjo uma vida que não tenho, isso aproxima as pessoas da minha parte humana com erros e acertos, tristezas e sorrisos!

Famosos