Topo

Famosos


Apoiador de Bolsonaro, Marcio Garcia veste rosa contra ministra e é atacado

Montagem/UOL/Reprodução/Instagram/oficialmarciogarcia
Marcio Garcia vestiu rosa em crítica à ministra Damares Alves, mas depois publicou foto vestindo azul para se explicar Imagem: Montagem/UOL/Reprodução/Instagram/oficialmarciogarcia

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

2019-01-04T13:13:13

04/01/2019 13h13

Marcio Garcia também aderiu à campanha de famosos contra a fala da ministra Damares Alves, que em vídeo disse que "menino veste azul e menina veste rosa". O apresentador, que apoiou Jair Bolsonaro na campanha presidencial, vestiu rosa e foi atacado por militantes do presidente. E precisou publicar outra foto, desta vez vestindo azul.

"'Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa'. Um belo exemplo da criatividade linguística. Esta frase é constituída apenas pelas seguintes palavras: uma, artigo indefinido; outra, pronome adjunto indefinido; é, forma do verbo ser, copulativo e de significação indefinida; e coisa, de significação imprecisa e subentendendo tudo o que quisermos. E foi apenas com estes elementos que surgiu a frase acima que sintetiza um axioma da lógica popular", escreveu o apresentador, que usou as tags "Use rosa", "use azul" e "A cor não nos define".

Garcia foi apoiado por algumas pessoas, como Astrid Fontenelle ("Bem-vindo ao front!"), mas recebeu críticas de outros famosos, como Myrian Rios. "Você também?", questionou a atriz. Apoiadores de Bolsonaro ignoraram que o apresentador votou no presidente e o atacaram na rede social.

"Você entendeu muito bem o que ela quis dizer, né? Para, por favor, de querer polemizar igual a seus amiguinhos 'globolixo'", comentou uma seguidora. "Ela quis dizer sobre ideologia de gênero! Parem de 'mimimi'!", escreveu outro rapaz. "Não à ideologia de gênero" foi a tag mais usada pelos críticos a Garcia.

"Ideologia de gênero" é um termo cunhado pela Igreja Católica contra a tese de que os gêneros masculino e feminino não são definidos na concepção ou no nascimento do bebê. Esta ideia ganhou espaço no Brasil a partir da elaboração do projeto "Escola Sem Partido", arquivado na Câmara dos Deputados em 2018.

Jair Bolsonaro combateu a "ideologia de gênero" em seu primeiro discurso à população como presidente da República, logo após ter tomado posse, na última terça.

Após as críticas, Marcio Garcia publicou uma foto ao lado da mulher, Andrea, vestindo azul. E explicou as críticas à fala da ministra.

"Amigos, não concordo cegamente nem com meu próprio filho ou com a mulher que eu amo, quem dirá com um partido ou com um político. Tenho opinião e mudo se for preciso, afinal as pessoas mudam. Às vezes para pior. Não sou de direita e nem de esquerda! Sou de centro. Centrado no respeito, na educação, na democracia e no bom senso. Aos que apelam para palavras de baixo calão no meu 'pedaço' e que me rotulam pelo lugar em que eu trabalho, eu apago o comentário e até bloqueio... mas o faço sem raiva, apenas por não gostar de pré-conceito e nem de falta de educação. Se o candidato que eu votar hoje, por convicção ou por falta de opção, pisar na bola amanhã, não hesitarei em discordar. Aprendo com todos, mas não sigo ninguém... apenas meus princípios. Desejo paz e amor pra todos nós e repito: bora torcer pro Brasil dar certo... mas fiquemos de olho... em todos, sem exceção, afinal, esse país é nosso!", rebateu.