PUBLICIDADE
Topo

Famosos

"Nunca fiz chantagem", diz repórter que acusa Datena de assédio sexual

Bruna Drews está processando Datena por assédio sexual - Reprodução/Instagram
Bruna Drews está processando Datena por assédio sexual Imagem: Reprodução/Instagram

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

21/01/2019 11h05

A jornalista Bruna Drews, de 35 anos, que denunciou José Luiz Datena de assédio sexual, afirmou nesta segunda-feira (21) que não quer dinheiro do apresentador. 

"Como ex repórter criminal sei que infelizmente processos por assédio sexual acabam bom máximo em pagamentos de cestas básicas para o Estado! Nunca pedi nada e nunca fiz chantagem com o apresentador!", disse a repórter em sua conta do Instagram.

Em representação protocolada no Ministério Público de São Paulo, a ex-repórter do "Brasil Urgente" afirmou que o apresentador teria lhe dito que ela não precisava emagrecer porque já "era muito gostosa", que diversas vezes teria "se masturbado pensando nela" e que achava "um desperdício" a profissional "namorar uma mulher".

As frases teriam sido ditas em um bar durante a confraternização de fim das gravações de um quadro do extinto programa "Agora é Com Datena", em que Bruna estava como repórter. 

Segundo a repórter, supostas pessoas que estavam com ela poderiam confirmar seu relato. "Obviamente muitas testemunhas que estavam no bar (amigos pessoais e funcionários de Datena) não vão contar a verdade. Mas tenho certeza que ela será esclarecida pela justiça!", afirmou.  

Datena se defende

Datena negou as acusações em mensagem ao UOL. "Isto é calúnia. Sempre elogiei esta moça ao vivo no 'Brasil Urgente', como faço com outros repórteres homens e mulheres, pela beleza e competência, acima de tudo. Ao vivo pra todo Brasil. Ela há muito tempo vem pedindo vários afastamentos por motivos psicológicos, alegando problemas de família, pessoais e trabalho. Sempre a apoiei, como faço com os profissionais com quem trabalho, e ela me agradeceu pessoalmente por isto nos poucos contatos que tive com ela na Band (foram raras as vezes que conversamos fora do ar)", disse o apresentador.

"Quanto ao episódio que ela se refere, ela estava visivelmente mais magra e perguntei na frente de todos se estava com problemas. Ela disse que sim e que iria procurar ajuda médica. Passou mal durante as gravações, que mandei parar para que ela fosse atendida e retomar outro dia em que estivesse melhor. No final das gravações deste programa, dias depois no Bar do Tonico, com boa parte da equipe, reiterei a ela que era bonita e competente e que não precisava emagrecer mais para trabalhar em TV, preocupado com sua saúde", explicou Datena.

Ele ainda garantiu que respeita a orientação sexual da repórter, que é assumidamente lésbica. "Quanto às opções sexuais dela, respeito, como sempre respeitei publicamente as opções de cada um", disse.

Datena reafirmou que nunca teve o intuito de assediar Bruna e citou sua mulher, Matilde Foresto Datena, e os filhos.

"Dias depois, ela me procurou agradecendo meus conselhos. Nunca, em hipótese nenhuma, tive qualquer outra intenção que não fosse de ajudá-la. Ela sabe disto. E, claro, quando eu soube desta mentira, em respeito à minha mulher, com quem sou casado há 41 anos, meus cinco filhos e seis netos, tomei minha providências jurídicas contra esta profissional, de quem espero que resolva seus problemas psicológicos, que são muito anteriores aos fatos que ela descreve, e outra forma que não seja tentar destruir pessoas que quiseram ajudá-la", disse.

"Minha vida profissional tem em grande parte sido pautada pela defesa da mulher, diariamente no programa que faço. Não vou alimentar uma maldade oportunista. Minha defesa será a lei, a verdade", completou o apresentador.

Procurado pelo UOL, o advogado de Datena, Fabio Mariz de Oliveira, disse que ainda não teve acesso à ação da ex-repórter do "Brasil Urgente" e que, logo que tenha conhecimento dos termos da denúncia, deve se pronunciar.

Famosos