Topo

Rodrigo do "BBB19" vai hoje à delegacia depor contra Paula

Rodrigo e Paula, do "BBB19" - Fotomontagem/UOL/Globo/Victor Pollak
Rodrigo e Paula, do "BBB19" Imagem: Fotomontagem/UOL/Globo/Victor Pollak

Felipe Pinheiro, Guilherme Machado e Marcela Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

05/04/2019 09h22Atualizada em 05/04/2019 13h02

Após sua eliminação do "BBB19", Rodrigo irá hoje à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro para depor contra Paula no inquérito que foi aberto para apurar declaração de racismo e intolerância religiosa no reality da Globo.

O delegado Gilbert Stivanello disse que há um procedimento instaurado desde o dia posterior à fala de Paula preconceituosa no "BBB" sobre a religião dele.

"Trata-se de injúria por preconceito alusivo à religião", explicou ao UOL.

Após o depoimento de Rodrigo, que é uma exigência processual para o prosseguimento do procedimento, já que a ofensa foi dirigida a ele, Paula terá a oportunidade de apresentar sua versão para os fatos.

"Se for concluído que ela tinha o intuito ou sabia da possibilidade de ofender com sua fala, poderá ser indiciada e o Inquérito será relatado e enviado à Justiça Comum. Não cabe Juizado Especial pois a alusão à religião agrava o delito", disse Gilbert.

O delegado afirma que Paula será ouvida assim que for eliminada ou após a final do "BBB", que termina dia 12 de abril.

A pena para o crime de injúria por preconceito varia de um a três anos de reclusão e multa.

No programa, a sister fez comentários contra a religião de Rodrigo. "Ele [Rodrigo] fala o tempo todo, ele desse negócio de Oxum deles lá, que ele conhece. Eu tenho medo disso. Ele fala o tempo todo, ele desse negócio de Oxum deles lá, que ele conhece. Eu tenho medo disso. Mas eu não sou [preconceituosa] não... nosso Deus é maior", disse ela.

O advogado que está cuidando do caso, Ricardo Brajterman, afirmou que o ex-BBB irá depor por volta das 15h30.

A decisão do cientista social de depor ocorreu após ele deixar a atração e assistir aos vídeos dos comentários que Paula fez a seu respeito.

A família de Rodrigo já havia decidido procurar a Justiça após os ataques racistas que o ex-brother sofreu pouco antes de deixar o confinamento. "Os ataques são bem violentos, chamando inclusive ele de macaco. Isso é crime de injúria racial, que é xingar diretamente a pessoa", disse Brajterman na ocasião. Nesse ida à delegacia, eles também já pretendem fazer essas denúncias .

Em entrevista ao UOL, a irmã e advogada de Paula Mônica von Sperling afirmou que a família estará preparada para uma denúncia de Rodrigo.

"É um direito dele, se por algum motivo se sentiu ofendido. Fico chateada apenas por conhecer a Paulinha e saber que ela jamais agiu ou agiria com o intuito de ofender alguém", disse Mônica.

Especial BBB19