Topo

Televisão


Susana Vieira critica "ideologia" de série: "Era vilã por apoiar golpe"

Susana Vieira em entrevista ao As Vilãs Que Amamos - Reprodução/Viva
Susana Vieira em entrevista ao As Vilãs Que Amamos Imagem: Reprodução/Viva

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

08/07/2019 10h19

Susana Vieira criticou a superssérie Os Dias Eram Assim, na qual atuou em 2017. Na trama de Ângela Chaves e Alessandra Poggi, que se passava durante a ditadura militar (1964-1985), ela vivia a vilã Cora, uma mulher possessiva e cruel, que apoiou o golpe. Em entrevista ao programa As Vilãs que Amamos, do Canal Viva, Susana criticou o fato de sua personagem ser a antagonista por sua visão política.

"Foi um seriado de esquerda. Como eu era a favor do golpe militar, passei a ser vilã. Eu acho isso um erro. Ela não tinha a menor ideologia, ela não fazia nada por ideologia, não era de direita. Era uma mulher compulsiva na bebida, perdidona, com aquele filho muito amado. Por ela aquele filho não saía de casa nunca", disse a atriz.

Susana também lembrou outras personagens icônicas de sua carreira, como a vilã Branca Letícia de Barros Motta, de Por Amor (1997), atualmente em reprise no Vale a Pena Ver de Novo.

"Era uma mulher mandona, tratava a empregada com pouco caso, não tinha grandes coisas, mas o texto dele [Manoel Carlos, autor] é que me deu a vilã. O Manoel Carlos se bota um pouco quando ele me oferece os papéis. Tudo que ele quer falar sobre a sociedade, cinismo, maldades, invejas, quando entro na novela dele, ele bota na minha boca. Não transgrido uma fala do Manoel Carlos, a fala dela é perfeita", elogiou ela.