Topo

Famosos


Padre Fábio de Melo deixará de fazer shows a partir do fim do ano

Padre Fábio de Melo no programa Direção Espiritual, da Canção Nova - Reprodução/Canção Nova
Padre Fábio de Melo no programa Direção Espiritual, da Canção Nova Imagem: Reprodução/Canção Nova

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

13/08/2019 16h12

Após deixar o Twitter, o padre Fábio de Melo também abandonará os palcos em 2020. O sacerdote decidiu que não se apresentará mais como cantor e cumprirá a agenda de shows somente até o final deste ano.

"Ele está muito cansado e desgastado das viagens. A carreira musical ele também pretende parar, como já anunciou publicamente", informou a assessoria de imprensa do padre Fábio de Melo, procurada pelo UOL.

No programa Direção Espiritual, que apresenta na emissora católica Canção Nova, Fábio de Melo antecipou que não planeja cantar a partir do ano que vem.

"Quero dizer que já estou me aposentando com o trabalho da música. Tudo indica que esse será o meu último ano fazendo esse trabalho de evangelização pela música. Tenho refletido muito, pedido muito a Deus que me ajude a decidir isso, mas estou muito certo de que o meu tempo com a música já deu. Pretendo ficar em outras frentes de evangelização, mas vamos trabalhar enquanto temos compromissos marcados", afirmou.

O religioso deverá realizar seu último show em 14 de dezembro, em Belo Horizonte. Uma apresentação prevista para o dia 24 de agosto, em Abaeté (MG), foi cancelada a pedido do contratante. Neste mês, o padre cantará em Tangará da Serra (MT), no dia 17, e em Maringá (PR), no dia 30.

Nesta sexta, Fábio de Melo irá autografar o livro Por Onde For o Teu Passo, que Lá Esteja o Teu Coração, em São Paulo. Segundo a assessoria, o religioso manterá suas atividades como escritor, professor, apresentador na emissora católica Canção Nova e sacerdote da Diocese de Taubaté (SP).

Saída do Twitter

O sacerdote, que se trata contra depressão e síndrome do pânico, avisou aos seus seguidores que o Twitter não estava mais fazendo bem para ele.

"Meus queridos, vou ficando por aqui. Tenho uma saúde emocional a ser cuidada. Sei o quanto já provei a solidão provocada pela depressão, pelo pânico. Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável para mim. Obrigado!", tuitou.

"Nunca tive dificuldade com as diferenças. Aliás, o meu ministério sempre foi exercido entre elas. Mas a dialética, um dos movimentos que nos permitem o acesso à verdade, vem gradativamente sendo substituída por acusações e julgamentos", explicou.

Segundo o padre, os ataques começaram após ele publicar uma matéria sobre a "saidinha" do Dia dos Pais que iria contemplar Alexandre Nardoni, condenado pelo assassinato da filha.

"Não entendo de leis, mas a "saidinha" deveria ser permitida somente no dia de finados. Para que visitassem os túmulos dos que eles mataram", opinou ele.

Depois disso, Fabio de Melo recebeu mensagens o criticando.

"Desde ontem, quando expressei minha indignação sobre a 'saidinha', estou sendo acusado de justiceiro, desonesto, desinformado, canalha e outros nomes impublicáveis. Só reitero. Já atuei na pastoral carcerária. Sei sobre a necessidade da ressocialização dos presos. Eu apenas salientei sobre a justiça não ser capaz de preservar, para os que sofrem suas perdas, o simbolismo das datas, libertando os responsáveis pelas mortes de seus entes queridos. Só isso", ressaltou.

Em seguida, ele se despediu. "Agradeço muito o carinho que sempre recebi aqui. Eu me divertia muito com vocês. Obrigado pelos amigos que fiz. Rezem por mim", completou.

Veja a sequência de mensagens do padre: