Topo

Televisão


"Agora que emagreci, não posso falar de gordo", brinca Leandro Hassum

Leandro Hassum durante programa "The Noite"  - Divulgação
Leandro Hassum durante programa "The Noite" Imagem: Divulgação

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL

23/08/2019 06h45

Leandro Hassum falou ao programa The Noite da SBT sobre seu novo programa, "Tá Pago", que estreia na próxima terça (27) no canal TNT, no qual aposta em uma nova vertente, apresentando um talk show. O ator também comentou a carreira no cinema e a mudança na maneira que parte do público reagiu ao vê-lo mais magro.

"Estou tentando entrar nessa coisa de entrevistar as pessoas. Como é difícil fechar convidado", reclama ele, que nessa primeira temporada gravou 15 programas. "São quatro convidados sempre, a gente vai puxando conversa. Superbacana, um papo superastral. Eu evito polêmicas", conta.

Desde que emagreceu, no fim de 2014, Hassum ouve que "quando era gordo era mais engraçado" ou que "perdeu a graça". "Escuto até hoje. Já encheu no início. Hoje depois de muita terapia entendi que era covardia das pessoas. As pessoas que querem mudar mas não têm coragem falam 'não aceito', 'você me traiu'. Estivesse em um pedaço de carne eu falaria para irem na porta de um açougue e ficarem rindo de uma picanha".

Ele brinca que emagreceu fora de hora. "Na época que eu era gordo, não tinha 'hashtag gordofobia', agora que emagreci não pode falar de gordo. Agora tudo é gordofobia".

A aparência pós-cirurgia também foi assunto. "Tem um período que você passa que fica abatido mesmo. Procurei malhar, comer bem, tomar as vitaminas, fazer todas as reposições que preciso. As pessoas acham que bariátrica é mágica, vou ficar lindo e gostoso para sempre. A cirurgia é 30%. A cabeça de gordo é pro resto da vida. O exercício é um remédio para eu viver".

Na próxima semana, estreia nos cinemas a comédia "O Amor Dá Trabalho". "Tenho esse humor mais físico, pastelão, caricato. Faço filme para o público rir. Se o crítico gostar, legal. O público que critica o nosso tipo de comédia tem que tirar da cabeça os filmes que eles gostam. Volto ao popular: quem for ver um filme do Hassum não vai ser traído, eu vou entregar um filme do Hassum. Não espere outra coisa", avisa.