PUBLICIDADE
Topo

Marcão do Povo gera revolta ao pedir campo de concentração contra covid-19

Marcão do Povo, apresentador do SBT  - Reprodução
Marcão do Povo, apresentador do SBT Imagem: Reprodução

Patrick Mesquita

Do UOL, em São Paulo

08/04/2020 11h01

O apresentador Marcão do Povo, do SBT, gerou revolta na web ao sugerir que fossem criados campos de concentração para abrigar a todos os infectados por covid-19. A declaração foi feita durante o programa "Primeiro Impacto" de hoje. Ele ainda pediu para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fizesse um decreto para colocar o Exército nas ruas e prender os governadores que não cumprirem as regras impostas.

Procurado pela reportagem do UOL, o SBT disse que Marcão do Povo tem liberdade de expressão. A opinião dele, no entanto, não reflete a da emissora.

Segundo o apresentador, a China levou as pessoas infectadas para a cidade de Wuhan - epicentro inicial da doença - e cuidou das pessoas em hospitais construídos no local. Foi então que ele sugeriu a criação de um campo de concentração para tratar dos brasileiros atingidos pelo vírus. Durante a fala, o Marcão do Povo chegou a pedir para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prestasse atenção à sua ideia.

"Na China, na cidade de Wuhan, pessoas que estavam com sintomas, que estavam com o coronavírus foram levadas e colocadas nessa cidade. Montaram vários e vários hospitais e as pessoas foram tratadas naquele local. Não seria interessante também presidente, atenção presidente, montar um local, o Exército, Marinha, Aeronáutica... Montar um local aonde todas as pessoas que tivessem os sintomas, que tivessem o coronavírus, fossem levadas para esse local e bem cuidadas, bem tratadas ao invés de espalhar da maneira que está sendo aí? Todos os lugares montando, um gasto excessivo, as cidades paradas. Não seria interessante um local só para cuidar dessas pessoas? Não seria interessante pegar, por exemplo, o Exército, Marinha e Aeronáutica e montar um campo de concentração, de cuidado, com equipamentos mais sofisticados, com os melhores profissionais e colocar essas pessoas com problemas, sintomas?", questionou.

Na análise feita pelo apresentador, a medida acabaria com a divisão de dinheiro para os estados brasileiros.

"Aí presidente acaba esse negócio de espalhar dinheiro para os estados. Vários governadores, tem estado que não teve nada, um caso que nem sequer foi comprovado, a pessoa não está nem internada e o estado decretou calamidade. Tocantins é um caso. Um caso no Tocantins, não teve uma morte. O estado tem necessidade de decretar calamidade? Não tem necessidade disso. É despesa para o povo do cidadão, do trabalhador que já está ferrado. Então, presidente é uma dica. O senhor é presidente da República. Dá um decreto, põe o Exército nas ruas, Marinha e Aeronáutica. E aí, o governador que descumprir, faz igual está fazendo com o povo: cana. Monta um campo, um local adequado e trata essas pessoas lá e o comércio abre normalmente. Quem apresentou o sintoma, leva para lá. Mantém a pessoa em isolamento, bem cuidada, bem tratada. É uma ideia que eu estou dando"

A sugestão de Marcão do Povo gerou revolta na web. No Twitter, o termo "campo de concentração" foi um dos temas mais comentados desta manhã.

Veja as reações:

Televisão