PUBLICIDADE
Topo

Ex-BBB Clara diz que quarentena dobrou lucro como camgirl: "Aumentou muito"

Clara Aguilar vê crescer a procura pelas transmissões como camgirl - Clara Aguilar (Foto: Reprodução/Instagram)
Clara Aguilar vê crescer a procura pelas transmissões como camgirl Imagem: Clara Aguilar (Foto: Reprodução/Instagram)

Do UOL, em Porto Alegre

13/04/2020 12h58

Se o isolamento social prejudica boa parte da economia, a participante do BBB 14, Clara Aguilar, não tem nada do que reclamar. Com um canal sobre sexo no youtuber e a rotina de camgirl, ela garante que tem ganho "o dobro do dinheiro" em razão da quarentena.

Em entrevista à Quem, Clara contou que a procura pelos vídeos e transmissões nos quais se exibe de forma sensual aumentou muito.

"O meu trabalho como camgirl estava como segundo plano na minha vida já há alguns anos, mas com a quarentena tenho mais tempo pra me dedicar ao site. Aumentou muito a procura. Tenho feito o dobro do dinheiro que fazia antes", disse.

Clara é casada, tem dois filhos e se divide entre os cuidados com eles e o trabalho. "Tenho dois filhos, então tenho bastante com o que me ocupar. Eles ocupam muito do meu dia. Fora isso, tenho trabalhado bastante, criando bastante conteúdo pro canal e também me dedicado ao site onde faço minhas transmissões como camgirl", explicou.

A rotina de vídeos e o trabalho com conteúdo adulto não atrapalham em nada a vida pessoal dela. Clara garante que foi a atividade de camgirl que a fez conquistar seus objetivos.

"Eu parei por um ano de trabalhar como camgirl porque o período após BBB foi muito agitado. Eu mal tinha tempo pra minha família. Toquei (como DJ) em quase todos os estados do Brasil. Assim que deu uma desacelerada, voltei. Sempre foi algo que gostei de fazer e não pretendo parar tão cedo. É um trabalho que exige dedicação e paciência. Você tem que fazer porque gosta e não apenas pelo dinheiro", explicou. "Sempre me dediquei e fui bem-sucedida no meio. Acho que antes de ser famosa eu conseguia fazer mais dinheiro na webcam do que agora que tenho menos tempo. Mas como comecei muito cedo, basicamente tudo que eu tenho até hoje, casa, carro e viagens, eu conquistei com o dinheiro que fiz na webcam", completou.

A loira ainda contou que conquistou espaço e respeito ao longo do tempo.

"Sempre tratei o sexo de uma forma muito natural. Então, quando comecei nesse ramo, eu já tinha a cabeça aberta pra essa questão. Quando minha família descobriu foi um pouco complicado, porém sempre me respeitaram. Hoje em dia o preconceito é mais online, pessoalmente as pessoas não têm muita coragem de me abordar", finalizou.

E ainda, aos 32 anos, casada com o produtor musical Giu Daga e mãe de Max, de sete anos, e Lemmy, de dois anos, ela disse que não tem qualquer problema com ciúmes.

"Fiz algumas transmissões com amigas que também são camgirls. Pra mim é sempre muito divertido trabalhar com outra camgirl. Uma das perguntas campeãs nas minhas redes sociais é se o meu marido tem ciúmes. Inclusive já o chamei pra responder isso uma vez? Ele me conheceu assim, já sabia o que eu fazia e me admira do jeito que eu sou. Sem contar que o meu trabalho apimenta nossa relação, muitas vezes ele está por trás da webcam me assistindo", concluiu.