PUBLICIDADE
Topo

'Encontro' coloca crédito em celular de jovem para entrevistá-lo ao vivo

O estudante Caio (no telão) durante participação no "Encontro" - Reprodução/Globoplay
O estudante Caio (no telão) durante participação no 'Encontro' Imagem: Reprodução/Globoplay

Do UOL, em São Paulo

22/05/2020 13h54

O "Encontro com Fátima Bernardes" colocou crédito no celular do estudante Caio, de Portel (Pará), para poder entrevistá-lo ao vivo. O programa usou o jovem de 19 anos como representante dos muitos estudantes brasileiros que não têm acesso à internet rápida para estudar virtualmente para o Enem.

"Para a gente conversar com o Caio, tivemos que colocar um crédito no celular dele. Ele não tinha, realmente, internet. Não tinha como a gente conversar, e a gente achou que era importante que ele desse a posição dele", disse Fátima.

Adiamento

Perguntado sobre a decisão do governo de adiar o Enem 2020, Caio opinou: "Mesmo que eles tenham decidido isso para beneficiar a maioria dos estudantes, essa decisão se torna obsoleta se o governo não tem nenhum planejamento para amenizar [a desigualdade]".

"Querendo ou não, o adiamento só vai beneficiar as famílias mais favorecidas, que tem internet dentro de casa", explicou. Caio disse que está estudando com livros emprestados, além de contam com ajuda de amigos, que o enviam materiais em formato PDF, por Whatsapp.

Cenário

Com a ajuda do psicólogo Rodrigo Nejm, Fátima pintou um retrato da desigualdade de acesso à internet no Brasil. O profissional disse que há 4,8 milhões de domicílios no Brasil com crianças e adolescentes sem acesso à web, e que 11% do total de crianças entre 9 e 17 anos no país não conseguem acessar a internet em nenhum lugar (escola, pontos de wi-fi públicos, etc).

"A pandemia mostra como a internet precisa ser considerada como direito. O acesso a ela permite não só o acesso a educação, como a outros tantos direitos", comentou o Dr. Nejm. "Seria injusta uma avaliação que não considerasse essa desigualdade".

Televisão