PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Meghan Markle faz discurso poderoso antirracismo: "errado é não dizer nada"

Meghan Markle fala sobre racismo em vídeo para formandos da escola onde estudou - Reprodução/Twitter
Meghan Markle fala sobre racismo em vídeo para formandos da escola onde estudou Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

04/06/2020 07h34Atualizada em 04/06/2020 12h07

Meghan Markle falou sobre o racismo e classificou o que tem acontecido nos Estados Unidos nas últimas semanas, com a morte de George Floyd, como "absolutamente devastador" em um vídeo gravado para a formatura dos alunos da Immaculate Heart, escola católica de Los Angeles onde estudou na adolescência.

A duquesa de Sussex, cuja mãe é negra, se desculpou com os alunos por terem "crescido em um mundo onde (o racismo) ainda está presente" e disse que a vida de Floyd "importava". A onda de protestos após a morte de Floyd fez a hashtag #BlackLivesMatter (Vidas Negras Importam, em tradução livre) ganhar manifestações nas ruas e nas redes sociais.

Na gravação, ela conta que estava "nervosa" em falar, mas logo percebeu que "a única coisa errada a dizer é não dizer nada".

"Porque a vida de George Floyd importava e a vida de Breonna Taylor importava e a vida de Philando Castile importava e a vida de Tamir Rice importava", acrescentou ela, referindo-se a outros negros mortos por policiais nos Estados Unidos.

Meghan disse ainda que o racismo deveria ser uma "lição de história" para os estudantes em 2020, não sua realidade. A duquesa de 38 anos lembrou-se de ter crescido em Los Angeles durante os distúrbios de 1992 provocados pela prisão de Rodney King.

"Eu tinha 11 ou 12 anos e foram os motins de Los Angeles, que também foram desencadeados por um ato de racismo sem sentido. Lembro-me do toque de recolher e lembro-me de voltar para casa, vendo cinzas caírem do céu e cheirando a fumaça e vendo a fumaça saindo dos edifícios (...) E essas lembranças não desaparecem."

Meghan, o príncipe Harry e seu filho de um ano, Archie, moram na Califórnia. O casal anunciou em janeiro que renunciaria aos privilégios da monarquia britânica.

A duquesa ainda pediu aos alunos que "fizessem parte de um movimento".

"Eu sei que vocês sabem que vidas negras são importantes", disse. Meghan pediu que eles "se unissem", como as pessoas fizeram em 1992, e elogiou dois chefes de polícia que manifestaram solidariedade aos manifestantes.

Ela pediu aos alunos que "usem a voz" e votem nas próximas eleições nos Estados Unidos, ecoando as palavras do irmão de Floyd, que pediu aos manifestantes que permanecessem em paz e usassem o voto de novembro para desencadear mudanças.

Famosos