PUBLICIDADE
Topo

Televisão

Homem invade Globo e ameaça repórter com faca; profissional foi liberada

Leandro Carneiro e Liv Brandão

Do UOL, em São Paulo

10/06/2020 16h03Atualizada em 11/06/2020 14h31

Um homem invadiu a sede do jornalismo a Globo, no Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro, na tarde de hoje. Portando uma faca, ele fez a repórter Marina Araújo como refém.

A Globo confirmou que o invasor foi ao local para falar com Renata Vasconcellos - hoje a apresentadora do Jornal Nacional completa 48 anos. Ele já foi detido e a repórter, liberada sem ferimentos.

A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à emissora e conduziu a negociação. O homem, que ameaçava a jornalista, liberou a repórter após alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem

Nota oficial da Rede Globo

Ainda no comunicado oficial, a emissora negou que a invasão e o sequestro tenham tido conotação política, como começou a circular nas redes sociais. Segundo funcionários que não se identificaram, o jovem seria um fã de Renata Vasconcellos, de 20 anos, do Espírito Santo.

A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos. Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente.

Ele teria feito a repórter de refém logo na entrada da emissora, por isso, os seguranças não reagiram, por medo que ele tivesse uma arma de fogo. O seu objetivo, segundo dizia, era falar com a apresentadora do "Jornal Nacional".

Ele queria entrar ao vivo

Segundo as pessoas que presenciaram a situação, o homem teria a intenção de aparecer ao vivo na Globo. Ele chegou a pedir o sinal do Globoplay para ver se estava na TV. Os funcionários, então, colocaram uma câmera fingindo que estava ao vivo, mas só transmitia o sinal internamente, como se fosse um repórter.

Vamos fazer o seguinte? Pra ficar legal? A minha palavra pra você: você vai na Renata Vasconcellos, e vai falar com ela. Mas a gente solta a menina primeiro que ela não tem nada a ver com a Renata Vasconcellos

Coronel Heitor Henrique, do 23º batalhão da PMERJ

A situação toda durou cerca de 30 minutos.

Comunicado interno

Os funcionários que trabalham no Jardim Botânico receberam um e-mail assinado por Ali Kamel, diretor-geral de jornalismo da emissora, para falar sobre a situação:

A TV Globo agradece à PM, ao coronel Heitor e a todos os policiais, cuja condução foi exemplar. Marina se comportou com coragem, serenidade e firmeza, sendo fundamental para o desfecho da situação. Renata foi corajosa, desprendida, solidária e absolutamente imprescindível para que tudo acabasse bem. As duas profissionais estão bem. E foram recebidas pelos colegas com carinho e emoção.

Von Martius - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Saiba mais sobre Marina Araújo

Marina já participou de cobertura de diversos temas, incluindo economia, política, esportes e saúde. Ela chegou a apresentar a série "Rio+20" dentro do "Bem Estar".

Também esteve na cobertura do Carnaval em 2014 e da Copa do Mundo de 2014, acompanhando manifestações no Rio de Janeiro.

Televisão