PUBLICIDADE
Topo

Famosos

Kim Kardashian diz que julgamento de caso OJ Simpson 'separou' sua família

Kim Kardashian relembrou atuação do pai na defesa de ex-jogador de futebol americano, enquanto a mãe acreditava nos familiares das vítimas - MARIO ANZUONI
Kim Kardashian relembrou atuação do pai na defesa de ex-jogador de futebol americano, enquanto a mãe acreditava nos familiares das vítimas Imagem: MARIO ANZUONI

Do UOL, em São Paulo

21/10/2020 10h42Atualizada em 21/10/2020 10h50

A empresária Kim Kardashian relembrou os momentos tensos que sua família viveu em 1994 durante o julgamento do então astro de futebol americano OJ Simpson.

Em entrevista ao programa "My Next Guest No Need No Introduction", Kim disse que a família se dividiu com a mãe, Kris Jenner, acreditando nos familiares das vítimas e o pai, Robert Kardashian, defendendo OJ.

"Nós realmente não sabíamos em que acreditar ou de que lado ficar, porque não queríamos ferir os sentimentos de um dos nossos pais", afirmou ela.

OJ Simpson ligou para o pai de Kardashian e pediu ajuda para defendê-lo das acusações de morte da ex-mulher, Nicole Brown Simpson, e seu amigo Ron Goldman.

"Era hora do jantar, estávamos todos sentados e eu atendi o telefone. Era uma ligação da prisão de OJ. Entreguei o telefone para minha mãe porque ele queria falar com ela", relembrou Kim da época em que tinha 14 anos.

Para ela, a situação oposta dos pais afetou a família entre 1994 e 1995.

"Isso separou minha família, eu diria, durante todo o período do julgamento", completou.

Divididos no tribunal

Kim contou ainda a vez que seu pai a buscou na escola e levou a jovem e a irmã mais velha, Kourtney Kardashian escondida para o tribunal.

A mãe, Kris, não sabia e viu os filhos sentados atrás de OJ Simpson.

"Minha mãe estava sentada com os pais de Nicole, e Kourtney e eu estávamos sentados atrás de OJ, e olhamos para minha mãe e ela nos deu um olhar mortal do tipo: 'O que você está fazendo fora da escola? O que você está fazendo aqui?'", disse.

OJ Simpson foi absolvido no julgamento inicial, com Robert Kardashian atuando na defesa.

Mas em 1997, ele foi condenado por um júri civil. O ídolo acabou sendo responsabilizado pelas mortes de Nicole e Ronald e condenado a pagar uma multa milionária aos familiares.

Famosos