PUBLICIDADE
Topo

Anitta fala de relação com plásticas em capa de revista britânica

Anitta foi uma das 10 personalidades escolhidas pela Glamour britânica para representar o amor próprio - Reprodução/Instagram
Anitta foi uma das 10 personalidades escolhidas pela Glamour britânica para representar o amor próprio Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/01/2021 12h23Atualizada em 25/01/2021 12h31

Anitta foi uma das 10 mulheres escolhidas pela Glamour do Reino Unido para simbolizar o amor-próprio feminino, tema anual da revista.

A cantora compartilhou o ensaio de capa em seu Twitter, confirmando que é uma "amante de si mesma", e voltando a defender a importância da transparência de pessoas públicas ao falarem de cirurgias plásticas.

"Eu encaro pessoas me subestimando ou me julgando dizendo coisas como: 'Ah, você é uma mulher', ou 'Ah, ela balança a bunda'", reclamou Anitta na entrevista à publicação, feita por vídeochamada.

"Mas por toda a minha vida, eu sempre lidei com o meu corpo muito bem, eu fiz algumas mudanças porque queria, não porque tinha vergonha do meu corpo, mas simplesmente porque queria fazer algumas mudanças e eu gostei do resultado. A cada ano, a minha relação com a beleza se torna mais e mais pacífica, por exemplo, eu nunca tive um problema com expor aquilo que as pessoas chamam de 'imperfeições'. Cada corpo é um corpo da maneira que é", defendeu.

Apesar de ter realizado uma série de cirurgias plásticas, a cantora afirmou ainda que "nunca se submeteu à indústria da beleza", dando como exemplo as celulites que carrega e que, segundo ela, "não são problema dela".

"Eu nunca liguei pra isso, na verdade a auto-imagem nunca foi uma prisão pra mim. Eu fiz aquilo que achei que me faria bem, mas isso nunca me fez prisioneira ou interrompeu algo na minha vida. (...) Eu fiz muitas cirurgias plásticas mas não é que não aceito minhas imperfeições, por exemplo, celulite, é algo que eu tenho mais que oxigênio dentro de mim, mais que água, tenho mais celulite que qualquer outra coisa, não existe tratamento que mude essa realidade", detalhou Anitta.

"Eu posso fazer dietas, que eu odeio. Posso me exercitar, que eu também odeio. Mas eu não vou ter uma vida que eu não gosto só pra me livrar da celulite, Eu prefiro viver com isso, aceitar e dizer: 'Ok, se você não gosta, o problema é seu'. Não vou levar esse problema comigo", continuou.

A cantora, de 27 anos, ainda criticou a hipocrisia por trás de alguns discursos sobre amor-próprio, alfinetando aqueles que defendem a autoestima para outros sem admitir as mudanças que fizeram para se sentirem bem consigo.

"As pessoas ficam tipo: 'ame a si mesmo', mas elas nunca dizem que mudaram algo. Se você quer mudar, vá lá e mude, não desperdice o seu tempo se importando com o que os outros pensam. Eu acho que isso fica ainda mais importante na internet, porque a internet faz adolescentes e pessoas mais jovens se sentirem assim. Ninguém vai postar: 'Oi, hoje eu acordei tão triste'. As pessoas vão postar coisas bonitas. Eu sempre digo ao meu público, não leve a internet como se fosse a vida real", defendeu.

Além de falar sobre a relação de Anitta com o mundo da beleza, a Glamour britânica ainda destacou sua oposição ao presidente Jair Bolsonaro e sua defesa da causa ambiental e da comunidade LGBT, lembrando as lives feitas pela cantora durante a quarentena sobre assuntos básicos da política nacional.

A publicação ainda confirmou que o novo álbum da artista, "Girl from Rio", será lançado "mais tarde" em 2021.