PUBLICIDADE
Topo

Felipe Neto ganha processo contra dono da Havan por post na pandemia

Felipe Neto havia critica o fato de a Havan ter passado a vender alimentos para poder abrir na pandemia - Reprodução/ Instagram
Felipe Neto havia critica o fato de a Havan ter passado a vender alimentos para poder abrir na pandemia Imagem: Reprodução/ Instagram

Flávio Ismerim e Leandro Carneiro

Do UOL, em São Paulo

09/03/2021 14h09Atualizada em 09/03/2021 17h50

Luciano Hang perdeu hoje uma batalha judicial contra Felipe Neto. O dono da Havan processou o youtuber após ele ter criticado o fato de Hang ter passado a vender alimentos essenciais para continuar com as lojas abertas na pandemia.

O UOL apurou que o juiz do caso julgou improcedentes os pedidos de Hang e declarou que não houve qualquer dano à honra do empresário ou da Havan.

"No presente caso, as manifestações dos requeridos não extrapolaram os limites da liberdade de imprensa e livre manifestação do pensamento em expor críticas e insatisfações, e, tampouco, atingiram o direito da personalidade dos autores", diz a sentença.

A manobra feita pela Havan tinha o objetivo de impedir o fechamento das lojas quando decretos por todo o país autorizavam somente os serviços essenciais a permanecerem abertos para frear a escalada da pandemia da covid-19.

A empresa passou a vender alimentos e, portanto, conseguiu amparo legal para manter suas lojas abertas. Cabe a Luciano Hang arcar também com os honorários dos advogados de defesa de Felipe Neto, que chegam a R$ 5 mil.

Resposta da Havan

Procurada pelo UOL, a Havan afirmou que "sempre teve autorização para venda de produtos alimentícios, o que perdurou durante a pandemia de covid-19".

Em nota, a empresa declarou que considera a afirmação de Felipe Neto imprecisa e "visa induzir o leitor em erro", assim como a publicação do jornal Folha de S. Paulo que gerou o comentário do youtuber.

Luciano Hang e a Havan dizem que vão recorrer da decisão e "confiam que o Tribunal de Justiça de São Paulo irá reconhecer a ilicitude da publicação com informações inverídicas da Folha e de Felipe Neto".

Processo por difamação

Na semana passada, Felipe Neto já havia ganhado um processo contra o advogado Mizael Izidoro. Na ocasião, ele foi condenado pela 3ª Vara Criminal de Campinas a detenção de cinco meses pelo crime de injúria e difamação contra o youtuber.

A ação foi movida por Felipe Neto após o advogado publicar em junho do ano passado em seu perfil no Twitter uma série de acusações. Nas publicações, o advogado se dirigia ao influenciador como "crápula" e tentou associá-lo ao massacre na escola de Suzano, que aconteceu em março de 2019.

Izidoro afirmou que Felipe Neto teria orientado seus espectadores para obter informações para a prática de crimes.