PUBLICIDADE
Topo

Bruna Surfistinha na TV, Maria Bopp revela proposta de R$ 350 mil por beijo

Maria Bopp durante o Altas Horas de ontem - Divulgação/TV Globo
Maria Bopp durante o Altas Horas de ontem Imagem: Divulgação/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

14/03/2021 10h04

Bruna Surfistinha apareceu em duas versões no programa "Altas Horas" da noite de ontem. Raquel Pacheco, a original, e Maria Bopp, que a interpreta na série "Me Chama de Bruna", conversaram com Serginho Groisman e, entre os assuntos, falaram se recebem propostas como se fossem prostitutas.

Bopp conta que já recebeu convites impróprios e riu ao contar o mais absurdo - e sua reação.

Já fizeram propostas para mim, propostas de programa. Um me falou: 'Me dá um beijo, só um beijo na boca, que te dou R$ 350 mil'. Eu dei os dados da minha conta, por que vai que, né?"

Apesar de condenar a proposta, Bopp riu da própria reação de passar sua conta bancária. "Ele perguntou se eu tava dando um 'sim', mas obviamente eu bloqueei. Falei só pela piada".

Raquel Pacheco diz que ainda recebe algumas propostas, mas muito menos do que acontecia antes. Ela deixou de fazer programas em 2005.

A autora também falou sobre as dificuldades da profissão, como a de dar limites aos clientes. "Na prostituição, o 'não é não' é muito difícil. O 'não' acaba incentivando eles mais ainda a forçar algo. Isso aconteceu muito comigo."

Abuso do pai

Raquel ainda falou sobre os abusos sexuais que sofreu na infância, do próprio pai, que só vieram à tona em 2021.

Minha terapeuta tentava tirar algo, que vinha lá do fundo. E eu bloqueava, porque sabia que era algo que ia me machucar demais. Como era criança, achava que era um carinho. Não houve penetração, mas abuso é abuso. E isso interferiu muito no relacionamento com os meus pais. No início da quarentena, sozinha em casa, eu consegui mexer nas minhas feridas, e foi um dia que eu precisava de alguma maneira desabafar."

Solange revela situações de assédio

A cantora Solange Almeida também entrou no tema e expôs situações difíceis que passou na carreira, com pessoas de seu convívio musical e contratantes a assediando.

solange - Reprodução/Globo - Reprodução/Globo
Imagem: Reprodução/Globo

Já fui muito assediada por pessoas ali do meu convívio. Do convívio musical, como artista. Passei por muitas situações horríveis, mas que nunca tive coragem de dizer, porque tem muito: 'por que ela tá falando disso agora?'"

Ela ainda acrescentou: "Ninguém sabe a dor que a gente está sentindo. Eu por muito tempo não fiz denúncia, não falei as coisas que passei, que me machucam até hoje. Nunca falei porque eu tenho filhos, sou arrimo de família, crio meus filhos sozinha. Eu tinha que engolir, não era um sapo, eu tinha que engolir um elefante quase todos os dias e era muito difícil para mim. E não só com pessoas do meu convívio, mas contratantes, pessoas dos eventos. Até a roupa que eu visto, as pessoas falam, porque sou uma mulher de 47 anos, com quatro filhos".

Por fim, descreveu que já flagrou homens se masturbando em seus shows: "Já vi homens, embaixo do palco, fazendo, né... Já, já... Acontece muito, muito".