PUBLICIDADE
Topo

Ex-atriz pornô diz que pressão da indústria causou cicatrizes psicológicas

Lana Rhoades passou relativamente pouco tempo no setor, mas segue lidando com seus efeitos - Reprodução/Instagram/@lanarhoades
Lana Rhoades passou relativamente pouco tempo no setor, mas segue lidando com seus efeitos Imagem: Reprodução/Instagram/@lanarhoades

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/04/2021 11h52Atualizada em 14/04/2021 14h14

A indústria pornográfica pode parecer glamorosa e muito rentável para os seus atores e foi por esse motivo que Lana Rhoades começou a participar de filmes adultos quando tinha apenas 19 anos. Mas agora, aos 24, a jovem afirma que o trabalho deixará marcas em sua vida para sempre, além de sequelas bastante negativas.

A influenciadora digital contou mais detalhes sobre sua experiência durante o podcast "3 Girls 1 Kitchen". Na gravação, Lana fala que passou por experiências humilhantes e que seus oito meses como atriz pornô causaram "cicatrizes psicológicas", como depressão e pensamentos suicidas.

Ela afirmou que, cada vez mais, se sentia pressionada a se submeter a situações extremas, como contracenar com alguém muito mais velho ou fazer coisas que ela tinha medo, algo que acabou gerando traumas.

"Eu diria com 100% de certeza que essa é a razão que me fez largar a indústria", explicou.

No entanto, a ex-atriz conhece pessoas que passaram por momentos muito mais delicados.

"Eu tive amigos que foram sufocados e chegaram a desmaiar durante as filmagens. São coisas realmente malucas que podem machucar as pessoas fisicamente pelo resto de suas vidas", disse.

A norte-americana espera que o seu desabafo sobre os bastidores das produções ajude mulheres a sair da indústria ou faça com que outras pensem bem antes de escolherem essa carreira. Algo que não foi o seu caso, já que, aos 12 anos, Lana já sonhava em ser uma estrela de conteúdos pornográficos.

"Eu queria escapar da situação que eu tinha em casa. Me trancava no closet e assistia [o reality da Playboy] "Girls Next Door", imaginando ter 18 anos para poder fazer aquilo", relembrou.

Quando seu sonho supostamente virou realidade, não foi bem como ela tinha em mente. "Por ser muito jovem, senti que queria agradar a todos e deixar meu agente feliz", declarou. E acrescentou: "[Os agentes] não se importam com as garotas, só querem agradar os produtores e as agências. São homens de 40 a 60 anos que estão na indústria há 20 ou 30 anos. Eles sabem como manipular meninas de 18 a 20 anos para que façam as coisas".