PUBLICIDADE
Topo

'Eu era muito esnobe', diz Andréa, que comeu olho de cabra no 'No Limite 1'

Andrea Baptista  foi uma das participantes da primeira edição de "No Limite" - Reprodução/Instagram
Andrea Baptista foi uma das participantes da primeira edição de 'No Limite' Imagem: Reprodução/Instagram

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

10/05/2021 04h00

Andrea Baptista, participante da primeira edição do "No Limite", marcou o programa ao se sair bem em várias provas. Além disso, seus comentários polêmicos e, principalmente, ter que comer o inesquecível olho de cabra fizeram dela um dos nomes mais lembrados pelo público.

O olho de cabra ficou na história do programa. Foi realmente um desafio, tudo foi um perrengue. Não queria comer aquilo, mas os meus anseios em relação ao que eu poderia obter me fizeram encarar aquele momento e me desafiar. Foi horrível, é um olho, uma coisa emborrachada, aquele líquido horrível. Espero ver a prova repetida na nova edição, porque tem que ser valente. Desistir não era uma opção, então eu encarei.

30.jan.2015 - Participante de "No Limite" come olho de cabra, em 2001 - Reprodução/TV Globo - Reprodução/TV Globo
Andréa comeu olho de cabra em 'No Limite'
Imagem: Reprodução/TV Globo

A advogada admite que sempre foi exigente com seu desempenho e se cobrava muito para executar as provas. Ela teve uma participação polêmica e chegou a protagonizar algumas brigas e desentendimentos.

"Eu era muito esnobe por ser uma mulher bonita, muito competitiva, tinha o costume de ganhar todas e aprendi que ali não seria assim", conta.

Ela relembra um tempo pré-BBB, afinal, o "No Limite" foi o primeiro reality show da TV brasileira.

"Hoje em dia com o 'BBB' você vê pessoas que se mostram mais e que o mundo está aberto para ver pessoas reais, eu era só aquilo, pura de coração, sou competitiva, não sou uma mulher capaz de passar por cima de alguém, ganhava na raça, no amor, na decisão, essa é a minha essência".

Andréa, porém, chegou a subestimar Elaine, a campeã da edição, com quem entrou em atrito. Em entrevista ao UOL, Elaine contou que a advogada pediu perdão pelos comentários feitos no programa após ver a reprise da edição no canal Viva.

"Ela é minha amiga, mas acho que ainda tem uma visão sobre a minha postura ali. Eu não estava desdenhando dela, mas não tinha muita paciência com o fato de ela ser muito de bem com a vida. Não conseguia ver dessa forma na época, hoje eu vejo. Ela sorria da desgraça que a gente estava passando e aquilo me irritava porque eu era impaciente".

Andréa mais uma vez reforçou seu lado competitivo:

"Elaine era a única que estava à minha altura para brigar pelo prêmio, a gente tinha os mesmos problemas, tínhamos filhos, não tínhamos grana. Eu reclamava era do bom humor dela. Até hoje ela implica comigo, mas a gente se dá bem com as nossas diferenças".

Eliminada na semifinal do programa, Andréa foi considerada a musa da edição, o que lhe rendeu convites para trabalhos e uma capa da revista "Playboy".

Fiz muitos comerciais e tentei fazer teste para o 'Superpop', mas a Luciana Gimenez já tinha sido meio que escalada.

Atualmente, Andréa atua como advogada de direito do consumidor no fórum da Barra da Tijuca.

"A demanda é muito grande, mas é bem bacana, gosto muito. Continuo com a vida saudável, treino, faço muay thai, jiu-jítsu e musculação. Gosto de esportes".

Torcida por ex-BBBs

Andréa está animada com a volta de "No Limite" a partir da próxima terça-feira (11) na Globo. Ela já adianta uma certa preferência, mesmo antes da estreia.

"Tenho quatro pessoas em quem estou de olho, mas depende de como eles vão se comportar no jogo. A Paula tem o meu perfil esportista. Além disso, tem o Kaysar, o Lucas Chumbo e o Viegas. A participação deles nos jogos vai me dar uma direção".

Morte do filho

Em 2013, Andréa viveu a dor da morte repentina do seu filho, Elias Júnior, aos 18 anos, em um acidente de moto, dentro do condomínio onde morava, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Ela lembra que o filho sempre a motivou e que toparia voltar a participar do reality show, até para homenageá-lo.

"Eu voltaria para o 'No Limite', ou faria para qualquer reality que me desafiasse. Porque a minha vida é um desafio. Sou uma mulher mais madura. Perdi meu filho aos 18 anos, um garoto que me achava a Mulher Maravilha. Até hoje me sinto dessa forma e é isso que me faz viver, é o que me move. É como se ele olhasse lá de cima é falasse: 'vai lá, mãe, tu é foda, vai lá, que tu consegue tudo'".

Além de Elias, a advogada também é mãe de João Bernardo.