PUBLICIDADE
Topo

Mãe de Paulo Gustavo compara quem desobriga uso de máscaras a 'assassino'

Dona Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, usa na missa de 7º dia do ator que morreu em decorrência da covid-19 - Reprodução/Multishow
Dona Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, usa na missa de 7º dia do ator que morreu em decorrência da covid-19 Imagem: Reprodução/Multishow

Do UOL, em São Paulo

11/06/2021 09h34Atualizada em 11/06/2021 18h20

Dona Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo, compartilhou uma mensagem qualificando como "assassino" aquele que desobrigar a população do uso de máscaras em meio à pandemia no Brasil.

O posicionamento da mãe do ator, morto aos 42 anos devido a complicações da covid-19 em maio, veio após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciar ontem que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, publicaria em breve um parecer "para tirar esse símbolo que tem utilidade para quem está infectado".

Déa compartilhou o texto de uma usuária do Twitter e afirmou que "assina embaixo" o conteúdo da mensagem. Ela ainda fez um apelo à população: "Usem máscara, amigos".

Um aviso: quem disser a você para deixar de usar máscara durante pandemia descontrolada é um assassino. Saia de perto, corte relações. Não presta.

A medida anunciada por Jair Bolsonaro (sem partido) contraria as recomendações de autoridades sanitárias do mundo todo. Queiroga, por sua vez, relativizou a fala do presidente. Segundo o ministro, a declaração visava instigar os pesquisadores brasileiros.

O presidente quer estimular a pesquisa em todas áreas. Quando o presidente, de maneira muito eficiente, chama a atenção para esse ponto das máscaras, o que ele está querendo é atrair atenção da sociedade para que se instigue o espírito de investigação de nossos pesquisadores.

O uso de máscaras é recomendado até depois de tomar as duas doses da vacina contra a covid-19, já que a imunização, apesar de anular a manifestação grave do coronavírus, não impede a sua transmissão. Além disso, apenas 11,06% da população brasileira recebeu a segunda dose da vacina, e há casos comprovados de reinfecção da doença.

Apenas países que estão com a vacinação em ritmo acelerado adotaram a medida, como Israel (59,4% da população vacinada com duas doses) e Estados Unidos (42,15% da população).

Por aqui, a recomendação dos órgãos sanitários e dos especialistas é: fique em casa, se puder, e use máscaras quando estiver em locais públicos. Se o ambiente for muito fechado, com pouca circulação do ar, opte pelos modelos PFF2/N95, que garantem maior proteção.

Ontem, o Brasil registrou 2.344 mortes de covid-19 e chegou ao total de óbitos de 482.135 mortes pela doença. Os dados foram obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, junto às secretarias estaduais de saúde.

A morte do ator Paulo Gustavo, após quase dois meses de internação em decorrência da covid-19, mobilizou fãs e comoveu o público que acompanhou a franquia "Minha Mãe É Uma Peça".

Nas manifestações do dia 29 de maio contra o presidente Jair Bolsonaro e a favor da vacinação em massa, a atriz Mônica Martelli participou com um cartaz visto na Avenida Paulista, em São Paulo: "Paulo Gustavo. 500 mil brasileiros mortos. Genocídio".

Mônica Martinelli - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Mônica Martelli protesta contra Bolsonaro
Imagem: Reprodução/Instagram